Como Converter Clientes Utilizando Landing Pages

Nenhum empresário pode ignorar as mudanças que ocorreram na transição entre o marketing offline e o online. No universo deste último, há várias estratégias a serem levadas em conta, mas certamente a da Landing Page é uma das mais promissoras.

 

Essas páginas de destino (tradução literal de landing pages), são muito mais do que uma simples sessão destacada do site. Ou ainda, muito mais do que uma página de promoções e vendas, ao contrário do que alguns pensam.

 

Seu foco é um call to action, ou seja, um chamado para ação. Seja ele qual for: pode ser uma simples curtida, um compartilhamento, o preenchimento de um formulário para captação de lead. Assim como pode ser, de fato, a consumação de uma venda.

 

A estratégia das landing pages se cruzam com vários conceitos de marketing digital.

 

Como Converter Clientes Utilizando Landing Pages

 

Especialmente com o de marketing de conteúdo, inbound marketing, funil de vendas, lead e jornada da compra, conforme veremos.

 

Afinal, o foco dessas páginas é justamente fazer o cliente avançar pelo funil. O incrível é que elas podem ser utilizadas em qualquer etapa da jornada e do processo.

 

Então, se você quer ficar por dentro das maiores técnicas que giram em torno dessa estratégia incrível, e descobrir como converter mais clientes, e de modo mais rápido, siga conosco na leitura deste artigo.

 

Conceitos Básicos Para Dominar As Landing Pages

Como dito acima, hoje o mercado da publicidade está dividido entre o marketing offline de um lado, e o marketing online do outro.

 

É verdade que algumas empresas trabalham ambas as modalidades ao mesmo tempo. De fato, um fornecedor de grama esmeralda (que é uma solução um pouco diferenciada), pode divulgar seu produto tanto pela internet quanto por panfletos, rádios, outdoors e afins.

 

Também assim, não é o fato de estar na internet ou fora dela que determina a linguagem utilizada. Na verdade, aí é que está o ponto: a linguagem antiga da publicidade apelativa, que só sabia focar no produto e na marca, é que tem caído cada vez mais em desuso.

 

Entrando em cena assim os princípios que são bases para aprendermos utilizar as páginas de destino com a máxima assertividade, sendo eles:

  • O de marketing de conteúdo;
  • O de inbound marketing;
  • O de funil de vendas;
  • O de jornada da compra;
  • O da evolução de um lead.

 

O lead nada mais é que um contato de uma pessoa que tem potencial, perfil para vir a ser seu cliente. Este é o grande ponto de mudança na ótica da nova linguagem de marketing.

 

Hoje uma empresa que anuncia seus serviços de iluminação para piscina de fibra, por exemplo, e não quer utilizar a linguagem antiga, não apelará toda hora para fatores como preço, prazo e promoções.

 

Ela precisa gerar conteúdos de qualidade que agreguem valor ao conhecimento do público, seja a respeito da solução oferecida, seja sobre conhecimentos gerais.

 

Chegando então ao chamado inbound e o marketing de conteúdo, nos quais as landing pages se incluem.

 

O funil de vendas nada mais é que as etapas que essa comunicação pode assumir, de modo a transformar um lead em cliente, com uma relação que vai muito além da publicidade que costumava massificar as pessoas e tratá-las como meros números.

 

A Primeira e Principal Das Dicas Para Converter

O call to action mencionado acima, também chamado simplesmente de CTA, tem uma finalidade simples, embora seu intuito seja um pouco mais complexo.

 

O surgimento das landing pages tem uma razão de ser bem interessante: existem websites, blogs e portais que conseguem atrair a atenção de muitos visitantes e leitores, mas não conseguem convertê-los em clientes ou mesmo em leads.

 

Talvez o site da sua indústria tenha os melhores materiais sobre transportador helicoidal (equipamento focado no transporte de granulados, pastas e pós), mas não saiba fazer CTA, como o de chamar o cliente para preencher um formulário, por exemplo.

 

Assim, o foco principal das landing pages é criar uma página que tenha poucas distrações, extraindo menus, banners e textos em excesso.

 

Contudo, isso deve ser feito sem que ela deixe de ser interessante, sem que deixe de ser um marketing de conteúdo.

 

Seguindo a mesma lógica, além de ela ir direto ao ponto, também deve prometer algo que tenha valor real para seus visitantes. Se o assunto é modernização de equipamentos, upgrades e retrofit de máquinas, disponibilize apenas parte do material na landing pages.

 

O fundamental da informação pode estar em um e-book mais completo. Assim, a estratégia amarra todas suas pontas.

 

Ao ver um bom conteúdo introdutório o visitante provavelmente irá querer o material mais completo, e para tanto você pede os dados de contato dele.

 

Pronto, ao fazer isso você já começou a converter seus visitantes e leitores em leads.

 

Como Qualificação e Segmentação Ajudam a Converter?

Para que o valor do banco de leads seja reconhecido é preciso compreendermos a mudança de paradigma mencionada acima: hoje grande parte do público mudou e já não aceita ser tratado de modo despersonalizado.

 

Diante disso, os leads assumem o papel e a importância dos próprios clientes. É neles que reside o potencial de crescimento da empresa.

 

De fato, há sites que captam dezenas de milhares de leads por mês, e depositam todas suas estratégias nisso.

 

Dada essa importância crescente, nos últimos anos surgiram várias ideias em torno desse conceito inovador. As principais são as de lead scoring e de qualificação de leads, cuja ideia central consiste em segmentar os contatos conforme o nível de interesse deles.

 

Graças a essas estratégias é que as landing pages podem se tornar muito mais eficientes, e converterem muito mais do que se fosse para o trabalho ser feito às cegas.

 

Assim, dependendo da interação que um leitor ou lead faz em uma landing page sobre instalação de DPS, que são os Dispositivos de Proteção contra Surtos (elétricos), é possível saber qual o interesse dele, e em que momento será conveniente abordá-lo comercialmente.

 

O scoring nada mais é que a “pontuação” do lead. É preciso ter esse controle para saber o momento exato de fazer cada tipo de abordagem.

 

A qualificação, por sua vez, deve ser feita pelo próprio marketing da empresa, traçando as estratégias ideais para cada conversão.

 

Geralmente o funil de marketing digital é escalonado assim:

  • Visitantes e público geral;
  • Leads e contatos informados;
  • Prospects já qualificados;
  • Suspects (não estão no momento de compra);
  • Oportunidades a serem convertidas;
  • Clientes ou leads já convertidos.

 

Deixar de respeitar essas etapas durante a comunicação com os visitantes/leads, é um dos principais motivos para não conseguir a tão almejada e necessária conversão.

 

Por isso, é fundamental ter um banco de leads organizado e segmentado conforme as etapas de cada contato, e em conformidade com as estratégias das landing pages.

 

A Importância De Saber Criar Uma Oferta Irresistível

Quando falamos acima sobre a diferença entre a velha e a nova linguagem, sobre os clientes que já não querem ser atraídos por promoções, preços e prazos, isso não quer dizer que as pessoas não busquem as melhores vantagens de mercado.

 

De fato, uma dica fundamental para que sua landing page converta é que ela tenha uma boa oferta. Ou seja, que ela ofereça algo que realmente interessa ao seu público.

 

Se a sua página sobre terraplanagem de terreno oferece um serviço que pode ser encontrado em qualquer blog, é pouco provável que o visitante queira pagar por isso.

 

Neste caso, você o fez passar pelas etapas do funil, mas não poderá entregar o que prometeu.

 

Portanto, uma boa estratégia de landing page não exime a empresa de ter os elementos comerciais básicos do mercado: uma boa solução, diferenciais competitivos, suporte e atendimento, reputação positiva no mercado e nas plataformas de qualificação de empresas.

 

O que as landing pages trazem, sem dúvida, é uma vantagem incrível em termos de CAC, ou seja, de Custo de Aquisição por Cliente.

 

Com elas, não é necessário malgastar um tempo enorme indo atrás dos interessados, pois, eles irão buscar por você.
Abaixo veremos como isso pode ser feito de modo ainda mais eficiente.

 

Como Aumentar o Tráfego Das Suas Landing Pages?

Se a landing page é uma página, ela pode ser promovida e divulgada tal como qualquer outro conteúdo digital de um website, não é mesmo?

 

Inclusive, os motores de busca da atualidade lidam justamente com páginas, e não com websites inteiros. Isso quer dizer que uma empresa pode ter uma ou mais páginas bem ranqueadas, e outras não.

 

A dica fundamental aqui é a palavra-chave e a formulação. Se o seu material é sobre nobreak para ar condicionado, por quê não fazer o SEO da página e garantir que sempre que o cliente escrever esse termo nos buscadores você aparecerá com destaque?

 

Em português a sigla SEO (Search Engine Optimization) significa, justamente, Otimização para Motores de Busca.
E o mais interessante é que algumas das exigências de ranqueamento servem para tornar seu material naturalmente melhor.

 

Os sites melhor colocados são os que têm melhor conteúdo e melhor formatação. Assim, mais do que simplesmente repetir uma palavra-chave como “mezanino industrial“, é importante investir no título, na descrição, no uso de imagens e de tópicos.

 

Ao garantir a divulgação da página, a qualidade do seu conteúdo, e a compreensão dos conceitos desenvolvidos acima, certamente você fará suas landing pages converterem muito mais clientes, aumentando incrivelmente os resultados da sua empresa.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Como Implementar Automação de Marketing Na Sua Empresa

A automação de marketing é extremamente importante no marketing digital, pois ajuda as empresas a atingirem potenciais clientes em grande escala e com personalização.

 

Isso é fundamental, porque a internet concentra um público imenso, que pode ser alcançado com uma grande diversidade de tipos de estratégias, desde que todas elas sejam realizadas adequadamente.

 

A automação de marketing é a ferramenta perfeita para esse desafio, auxiliando tanto os pequenos empreendedores quanto os grandes empresários, em diversos segmentos de atuação.

 

Como Implementar Automação de Marketing Na Sua Empresa

 

O Que é a Automação De Marketing?

O termo automação de marketing se refere à prática de usar softwares e outras tecnologias para ações em larga escala, possibilitando melhores resultados para as campanhas.

 

As ferramentas identificam, acompanham e facilitam ações personalizadas com o público dos empreendimentos, contribuindo para o relacionamento e, consequentemente, gerando mais vendas.

 

Para entender a importância da automação, basta pensar na rotina dos profissionais de marketing e nas tarefas que eles precisam realizar frequentemente para promover serviços como a locação de caçamba de entulho, por exemplo. Dentre elas, destacam-se:

  • Publicar conteúdos nos blogs das empresas, para atrair visitantes;
  • Divulgar as postagens nas redes sociais, gerenciando o engajamento;
  • Gerar contatos para vendas, com formulários em campanhas por email;
  • Produzir postagens, e-books, planilhas, webinars, formulários, entre outros;
  • Avaliar as respostas de formulários, qualificando potenciais clientes;
  • Produzir conteúdos para nutrição dos contatos para as compras;
  • Mensurar resultados das campanhas de marketing, focando em melhorias.

 

Portanto, são muitas atividades importantes para uma campanha de Marketing Digital de sucesso e, quanto mais a empresa crescer e se desenvolver em seu mercado de atuação, mais contatos são gerados e precisam se trabalhados.

 

Por isso, as equipes de marketing contam com ferramentas de automação, que reduzem o trabalho manual e ajudam a aumentar a eficiência no dia a dia.

 

Diminuindo o tempo gasto com as tarefas sem prejudicar a qualidade do atendimento aos clientes e potenciais clientes.

 

Na prática, pode-se dizer que as ferramentas de automação de marketing ajudam na:

  • Administração das redes sociais das empresas;
  • Estratégias de e-mail marketing;
  • Geração e gerenciamento de leads (potenciais clientes, contatos de e-mail);
  • Análise e acompanhamento das métricas geradas nos processos.

 

Quais Os Benefícios da Automação de Marketing?

A automação de marketing é essencial para as empresas maiores e mais consolidadas, que lidam com uma grande quantidade de contatos e utilizam as ferramentas para facilitar o dia a dia dos profissionais e ainda melhorar o gerenciamento das atividades.

 

É normal que os empreendedores de negócios menores tenham dúvidas sobre as vantagens de implementar a automação de marketing, relutantes em automatizar as tarefas com listas de contatos menores.

 

Entretanto, é válido considerar as possibilidades que a tecnologia oferece, como:

 

Maior Geração de Leads

O lead é um contato que demonstra interesse em comprar um produto ou serviço oferecido pela empresa.

 

Ele é identificado no momento de fornecimento de informações pessoais, como e-mail, nome, idade, endereço, entre outros. Em troca do acesso a materiais ricos, como e-books, planilhas, webinars.

 

O preenchimento de formulários e download de conteúdos acontece nos sites das empresas.

 

Quando uma especializada na produção de compactador de solo elétrico, para exemplificar, já conhece bem a jornada dos seus clientes, encontra mais facilidade para produzir os materiais ricos que servem de iscas.

 

A automação de marketing ajuda as empresas a conhecerem melhor o seu público, o que é primordial na produção de conteúdos para atraí-lo e capturar mais leads.

 

Mais Oportunidades De Vendas

Um contato pode não ter interesse em adquirir itens para a manutenção de piscinas no futuro mas, se a empresa mantém o contato, quando ele precisar de dispositivo de retorno para piscina de alvenaria, ou outros equipamentos, se lembrará da marca.

 

Por isso, o ideal é que as empresas se mantenham presentes na vida dos seus contatos, nutrindo o relacionamento com materiais relevantes e educativos, que certamente serão úteis no momento da compra de um produto ou contratação de um serviço.

 

A automação de marketing possibilita o acompanhamento dos leads uma maneira personalizada, aumentando as oportunidades de negócios para as equipes de vendas.

 

Redução Do Ciclo De Vendas

Com essa ferramenta de automação, um empreendimento especializado no georreferenciamento com drone, por exemplo.

 

Assim como outros tipos de serviços, pode acompanhar, gerir e nutrir contatos mais facilmente, deixando o processo de vendas mais simples e fluido.

 

Em outras palavras, a companhia pode aproveitar o fato de que futuros clientes gastarão menos tempo na decisão até a compra, com argumentos menos resistentes, já que estarão mais bem informados.

 

Redução Do CAC

O CAC (Cost to Acquire Customers, ou custo de aquisição do cliente) é uma métrica que indica o recurso gasto para a conquista de um novo consumidor.

 

Para se ter uma ideia, uma empresa pode até fazer uma ação com ótimos resultados em vendas, mas se for necessário muito tempo para a gestão, gasto com atividades manuais, fica difícil aumentar o impacto ou a quantidade de campanhas de marketing.

 

As ferramentas de automação otimizam tarefas fatigantes e processuais, fazendo com que as informações geradas sejam processadas com mais qualidade.

 

Com um CAC menor, os profissionais de marketing podem ampliar os esforços, atingir mais pessoas e atrair mais clientes com o mesmo investimento.

 

3 Etapas Para a Implantação De Um Sistema de Automação de Marketing

Tendo em mente a jornada que os clientes percorrem desde o momento em que conhecem as empresas até a contratação de serviços como a manutenção fogão industrial.

 

Os sistemas de automação de marketing permitem a análise das ações mais eficazes para a conversão dos consumidores.

 

A interação inteligente e personalizada reflete na conquista e fidelização, com a entrega das mensagens mais adequadas para o momento de cada contato.

 

Contudo, isso depende principalmente de 3 etapas na implantação de um sistema de automação de marketing nas empresas. São elas:

 

1. Definição Da Estratégia Do Sistema De Automação

Assim como toda ação de marketing, a implementação de um sistema de automação deve ser feita com muito planejamento, com etapas pré-estabelecidas.

 

De uma maneira geral, não é recomendada automatização de uma tarefa que não é dominada pela equipe de marketing em seu modo manual.

 

Entretanto, é muito importante conhecer bem o público, suas principais dúvidas e necessidades e as principais fases que ele percorre até a compra de bateria selada para nobreak ou outros produtos.

 

As campanhas devem ser definidas sempre com o objetivo de educar o lead. Elas devem ser testadas e ajustadas, instigando a atuação do público.

 

2. Compreensão Do Público e Ações Personalizadas

Para o sucesso das ações de marketing, a empresa deve saber responder quem é o seu público-alvo, como ele se comporta, quais os seus hábitos e as principais dúvidas no funcionamento de fonte de alimentação estabilizada, por exemplo.

 

As informações ajudarão a empresa a investir na linguagem e ações mais adequadas para se aproximar do público.

 

A atenção deve ser dada ao oferecimento de ações que mostrem ao cliente que ele não é apenas mais um, com as customizações de mensagens.

 

3. Produção De Conteúdo Relevante e Atraente

Atualmente as pessoas encontram uma infinidade de materiais disponíveis na internet, mas podem ter dificuldades em tirar uma dúvida ou buscar uma empresa confiável para a produção de porta de aço automatizada, por exemplo.

 

Nesse sentido, o conteúdo relevante e atraente é de extrema importância, porque ajuda a estabelecer uma relação de confiança com o público.

 

Em conjunto com as ferramentas de automação de marketing, é possível oferecer um material capaz de traduzir as respostas desejadas pela audiência.

 

Mais Dicas Para a Implementação da Automação de Marketing

Outras dicas que podem ajudar a garantir o sucesso da automação são:

  • Ter processos e objetivos bem claros, com planejamento estratégico;
  • Manter um acompanhamento próximo das ações automatizadas;
  • Não generalizar, evitando ações em massa, investindo em segmentação;
  • Cuidar do relacionamento com os clientes atuais;
  • Fazer revisões e contínuas melhorias nas estratégias de marketing;
  • Manter a organização, definindo padrões para as ações.

 

Já com relação à escolha da ferramenta de automação, é válido destacar a importância de pesquisar muito e testar as opções que pareçam mais adequadas, em busca da melhor escolha para a empresa.

 

A avaliação deve levar em conta as funcionalidades, facilidade para o uso, possibilidades de customização e personalização, integração com outras ferramentas e a qualidade dos relatórios gerados para análise.

 

Além disso, recomenda-se a escolha de uma ferramenta que ofereça suporte especializado e treinamentos. Eles podem não parecer muito relevantes no início, mas são essenciais para o aproveitamento de todos as funções do software.

 

Ao final, a automação de marketing possibilita às empresas a atuação de maneira personalizada em grande escala.

 

Uma empresa que domina os próprios processos de marketing pode se beneficiar do investimento nessa ferramenta, com ações planejadas, aumentando a frequência, alcance e intensidade das ações de divulgação.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Público-Alvo

Olá, hoje eu queria perguntar para você se você conhece exatamente quem é o seu público-alvo? Quem consome os seus produtos ou, serviços. Ou quem você acha que futuramente irá consumir os seus produtos e serviços.

 

Diversos hábitos, diversas informações sobre o seu público-alvo, podem sim ser extraídas, e elas são essenciais para que você consiga vender mais os seus produtos e serviços. Se comunicar exatamente com a sua audiência. Se comunicar de forma direta com a audiência correta que consome os seus produtos e serviços.

 

Público-Alvo

 

Uma das coisas que faz toda a diferença quando você for vender um negócio ou vender um produto, apresentar o seu negócio pela internet, é se comunicar corretamente com a sua audiência. E se você conhece exatamente quem ela é, quais são os hábitos dela, se ela gosta de, por exemplo, correr no parque, se ela se preocupa com a saúde, se ela se preocupa em fazer exercícios regulares, se ela tem filhos, se ela pratica algum tipo de esporte, se ela gosta de ver um filme, se ela gosta de algum tipo de livro diferenciado. Todos esses detalhes sobre quem exatamente é o seu público fazem toda a diferença na hora de você comunicar o seu produto ou serviço.

 

E a partir do momento que você consegue entender quem é o seu público-alvo, a sua comunicação funciona, porque você vai se conectar com essa audiência. A pessoa vai entender que você é amigo dela, que você realmente entende as dificuldades que ela está passando. Você entende exatamente quais os problemas que ela tem.

 

A partir do momento que você identifica quem é sua audiência e consegue se comunicar com ela. Você tem muito, mas muito mais chances de vender para ela. De fazer com que ela se inscreva dentro da sua lista de e-mails, que ela execute as ações que você está tomando.

 

Público-Alvo

 

Sabe quando você assiste um filme, ou uma novela, um seriado, e você se identifica exatamente com aquele personagem, com aquele herói. Você vive a história junto com ele. É mais ou menos isso que a comunicação assertiva faz pelo seu negócio.

 

A partir do momento que você consegue realmente conversar com a pessoa e falar a língua dela mesmo você não vivendo diretamente aquele detalhe. Mesmo você, por exemplo, não tendo filhos, mas podendo entender que a maioria do seu público aquele segmento específico do seu público, tem filhos. Se você falar com ela mais assertivamente, por exemplo, falar:

-Você que tem problemas em administrar o tempo com a família, você que tem problemas em pegar aquele trânsito para levar seus filhos à escola. Você que tem problemas em entender as lições de casa dele.

 

A medida que você fala essas sutilezas do dia a dia da comunicação com a sua audiência, tudo começa a funcionar melhor. Tem um outro exemplo muito legal, que eu gosto, que eu ouvi o Conrado Adolpho falar, que é a tal da Sentir a espuminha nas costas. Ele fala duma conversa que ele teve com o surfista e tal, no dia que ele quis aprender sobre Surf, ele começou a falar com ele sobre as ondas e tal, e como que estava quebrando bem o mar naquele dia tal. E o surfista falou para ele:

– É, aquele momento que você entra na onda e você sente a espuminha da onda nas costas antes de dropar na onda

 

Ou seja, é um detalhe da comunicação que só realmente quem entende daquela persona, que entende daquele mercado vai saber. Você precisa identificar a espuminha nas costas da sua persona. Identificar que tipo de comunicação funciona com a sua audiência. Funciona com o seu público-alvo.

 

Público-Alvo

 

Iniciar uma conversa informal, falar a língua do seu cliente. Se comunicar com ele apresentando outras pessoas que passaram por aquilo, faz com que ele realmente entenda que você está querendo resolver o problema dele, e não só vender para ele naquele momento.

 

Muitas pessoas acham que o que faz a diferença para o cliente, são os detalhes técnicos do seu produto. E a hora que vão conversar com o cliente, acabam falando sobre especificidades. Coisa que ele consegue ler no catálogo, na embalagem do produto. Não é isso que ele quer ouvir. Não é isso que vai fazer a diferença na hora dele comprar de você.

 

O que vai fazer a diferença é a comunicação por trás do seu produto. A comunicação que está intrinsecamente ligado ao seu produto ou serviço. Os detalhes do dia a dia ou a parte emocional da conexão com o seu negócio. Aquela vantagem que ele vai ter em usar o seu produto. A transformação que ele vai ter em usar o seu produto.

 

Não os detalhes técnicos que geralmente, a maioria das pessoas não consegue vender, porque fica muito atrelado e tenta especificar, informar só o detalhe técnico do negócio. Não constrói histórias, não mostra que existe sucesso.

 

Existem diversas ferramentas da internet que podem ajudar você a entender um pouco mais de seu público-alvo. Falando de Google e Facebook que são as principais fontes de tráfego, que a maioria dos sistemas usam, que você provavelmente vá usar. Dentro do Facebook você pode usar o planejador de palavras-chave para entender um pouco mais da sua audiência. É uma ferramenta que você chega lá e consegue identificar que tipo de pesquisa as pessoas fazem na internet.

 

Por exemplo, você coloca lá: corrida. O Google vai te falar: as pessoas pesquisam geralmente, qual é o melhor lugar para correr? Que horas que é melhor correr? Qual é a dieta ideal para a corrida? Qual é o tênis ideal para a corrida? Ele vai te dar várias informações alvo de como as pessoas que procuram sobre corrida, o que mais eles estão pesquisando. E isso vai dar todo embasamento e vai dar todo o potencial da sua pesquisa para melhorar a comunicação com o seu cliente.

 

Público-Alvo

 

Dentro do Facebook também tem uma ferramenta muito legal que é o Audience Insights. Ele mostra o que está por trás daquela audiência. Você pode subir um público, uma lista de compradores, pessoas que já compraram de você. Ou segmentar as pessoas que curtiram a sua fanpage. Existem várias formas de você analisar o audience insights.

 

Mas basicamente ele vai dizer: às pessoas desse grupo alvo aqui, ele tem entre 20 e 35 anos no seu geral, a grande maioria. São homens, são 80% homens, são 90% mulheres, eles são casados, eles completaram o segundo grau, eles geralmente estão viajando. Tem muitos dados dentro da audience insights que faz com que você realmente entenda quem é o seu público-alvo por trás daquela audiência.

 

Então eu queria aproveitar para você, o que que é um lead. O que é isso? O que é uma audience, o que é um lead qualificado, ou não. Basicamente um lead, é um futuro comprador. Alguém daquele público-alvo, desse nicho que a gente está conversando, que futuramente pode vir a comprar um produto seu. Você tem por exemplo uma academia, então os seus leads são pessoas que moram em torno do seu bairro.

 

A tua academia, vamos ser mais específico aqui. A tua academia é especializada em mulheres ou, especializado em dança. Então são as pessoas da região em volta desse bairro que tem interesse em dançar ou que são mulheres. E, um ponto legal que você precisa entender, é que às vezes, como academia, o seu nicho, o seu público, ele é um pouco mais abrangente. Realmente ele serve para várias pessoas. Homens e mulheres de qualquer idade.

 

Público-Alvo

 

Mas mesmo seu produto sendo meio genérico. Vamos dizer aqui, que não existe produto totalmente genérico, é muito difícil você ter um troço que serve para todo mundo. Mas mesmo seu produto sendo um pouco genérico, a sua comunicação tem que ser específica.

 

Por exemplo, quando você for fazer uma publicação você vai criar uma comunicação, você vai criar um funil, você vai criar um relacionamento específico com mulheres de 20 a 30 anos porque você vai falar exatamente com ela.

 

Sabe aquele momento que o personagem do filme está falando com você, e você fala: “Aham, Aham” ou aquelas propagandas que tem, que, acho que é até melhor ir em propaganda, né? As vezes tem aquela propaganda que o cara fala: Você já passou por isso? Você que vive estressado com a mãe da sua esposa, que fica te incomodando por causa disso, e você fala: “Aham, Aham, sou eu, sou eu”. É exatamente isso, quando você tiver uma comunicação assertiva, as pessoas vão falar: “Aham, você está falando exatamente comigo”. E isso funciona muito bem, essa conexão funciona para que você venda muito mais. Então crie comunicação nichada. Teu produto é genérico, mas a tua comunicação é nichada.

 

Hoje dentro do meu negócio, por exemplo, eu tenho vários canais, várias verticais ao qual os clientes podem adquirir o meu produto. Mas cada vertical tem uma comunicação específica. Se a pessoa é um empresário, eu falo com ele com um tom, com comunicação do empresário, falando das dores que o empresário tem. Se por um acaso esse cara é um infoprodutor, ou um professor, eu falo com ele de forma, com linguagens que o professor entende. Com as dores que o professor tem.

 

Então, você precisa nichar, você precisa se comunicar e entender melhor a sua audiência, para poder se comunicar melhor com ele.

 

E tendo essas informações na mão, você vai conseguir projetar o seu tráfego. E esse é um ponto bem interessante, se você não sabe o que é tráfego, tráfego são as fontes que gerarão visitas ao seu site. Que atrairão visitantes ao seu website, ou seu negócio virtual, ou seu portal da internet, o seu ambiente virtual. Então você precisa entender muito bem quem é a sua audiência para poder segmentar esse tráfego.

 

Muitas vezes, se você não segmenta ele muito bem na comunicação do tráfego, por exemplo, você vai colocar um banner no Facebook para atrair essas pessoas. Se você colocar muito genérico, você atrai, geralmente curiosos. Às vezes você gera muitos leads, você consegue muitos contatos, mas não consegue vender nada.

 

Geralmente isso está ligado a uma comunicação muito abrangente e não tão específica. Quando você faz isso, você consegue atrair muitos curiosos, mas não pessoas realmente importantes, que se importam, o que você irá resolver o problema delas. Você não atrai a audiência certa, você não atrai o lead certo. Então é muito importante você prestar atenção nisso.

 

Público-Alvo

 

Conseguir segmentar bem a sua comunicação e deixar isso claro nos seus anúncios. Nas suas fontes de tráfego para atrair o visitante correto. Para atrair a pessoa certa para visitar o seu website. Para consumir o seu conteúdo e, conhecer mais sobre a sua empresa ou, sobre o seu negócio, ou sobre o seu serviço.

 

E depois que você entender exatamente como é que funciona, as fontes de tráfego, e a sua audiência, você precisa conectar as duas coisas. Você precisa atrair audiência qualificada das fontes de tráfego e ver se aquela audiência compra de você. Para isso, você precisa testar. Não tem outra forma, você vai atrair pessoas de diferentes locais e mapear essas pessoas.

 

-Eu trouxe umas pessoas do Google, através dessa palavra-chave, integrando esse tipo de conteúdo e ela comprou e isso me custou 30 reais. E ela comprou um produto de R$50, legal. Agora, eu atraí essa pessoa do Facebook, com esse tipo de imagem, com esse tipo de anúncio, com esse tipo de comunicação, e ela me custou R$15,00. E comprou o mesmo produto de 50 reais e assim por diante. Você precisa testar a fontes de tráfego e testar a comunicação até achar o que tem um ROI melhor, um retorno sobre investimento melhor.

 

Fonte: Negócios Digitais – Público-alvo – Blog leadlovers