Por que o E-mail Marketing é Uma Estratégia Inevitável Atualmente?

Já não é segredo para ninguém o quanto a internet tornou-se indispensável, bem como a quantidade de novidades que ela pode trazer. O que nem todo mundo sabe é que algumas continuam fazendo muito sucesso, como o e-mail marketing.

 

De fato, muita gente ouve falar em novas estratégias e soluções incríveis, e começam a pensar que recursos que já estavam aí praticamente desde o surgimento do microcomputador e dos primeiros anos da internet se tornaram ultrapassadas.

 

Alguns veem os e-mails dessa forma, como se ele fossem algo “antigo” que já não surte o mesmo efeito. Contudo, isso é um grande erro, afinal, não é o tempo que a estratégia tem o que vai indicar sua eficiência, mas outros fatores bem diferentes.

 

Um deles é o alcance do recurso. Pare pra pensar: você conhece alguém que seja usuário de internet que não tenha um e-mail, às vezes mais de um? Nesse sentido, ele é quase como um documento de identidade para os internautas.

 

Por que o E-mail Marketing é Uma Estratégia Inevitável Atualmente?
Imagem de 200 Degrees por Pixabay

 

Basta isso para percebermos que tratá-lo como algo ultrapassado é um equívoco, já que boa parte do que as pessoas fazem, seja pessoalmente ou profissionalmente, possui pelo menos uma conta. Outro ponto é que alguns consideram o e-mail marketing algo intrusivo.

 

Afinal, são várias as empresas que disparam e-mails para todo tipo de gente, correndo o risco de caírem no spam ou mesmo serem bloqueadas pelos provedores, já que não usam critérios na hora de mandar mensagens e “atirar pra todo lado”.

 

Porém, isso também é uma visão limitada, já que hoje o e-mail marketing inclui todo um estudo de mercado, acompanhado de estratégias que impedem, na base, que uma pessoa desinteressada receba suas mensagens.

 

Por fim, também não podemos nos esquecer dos tablets e smartphones. A maioria deles já começa a experiência de navegação do dono do aparelho pelo e-mail, customizando todas suas preferências por meio deste endereço eletrônico.

 

Isso fez com que os e-mails acabassem sendo oxigenados e voltassem ao centro da questão. Tanto é assim que várias pesquisas demonstram sua importância, como uma feita recentemente pela Marketing Sherpa, uma das maiores empresas digitais da área.

 

Segundo os dados levantados, mais de 70% dos internautas e consumidores veem no correio eletrônico seu canal predileto para receber mensagens de empresas. Isso vale para primeiros contatos após inscrição em um formulário, como vale para newsletters e afins.

 

Então, se você quer compreender como chegar nesse nível em que os clientes desejam receber seu e-mail marketing, é só seguir adiante na leitura.

 

A Revolução da Internet e do E-mail

Não é possível falarmos de e-mail marketing sem nos lembrarmos do quanto a própria internet se tornou, ela mesma, imprescindível na relação entre as pessoas. É só compararmos o correio eletrônico com a carta física, seja a pessoal ou a profissional.

 

Um exemplo de “carta profissional” são as newsletters. Pouca gente se lembra, mas até a década de 1990, negócios como escola particular infantil creche mantinham um contato com os pais/clientes por meio de mídia impressa, despachada via Correios.

 

Hoje em dia há quem pense, erroneamente, que as newsletters são uma invenção do marketing digital, que só existem graças aos campos de formulário onde as pessoas deixam seus dados de contato para receberem as novidades que aquela marca possa trazer.

 

Os próprios catálogos e revistas impressas que algumas empresas ainda circulam podem ser considerados, dependendo do formato e da proposta, como uma newsletter. Seja como for, isso deixa bem claro que a internet mudou para sempre a comunicação.

 

O e-mail marketing entra nesse fenômeno. Na verdade, quando a gente pensa que ele pode soar um pouco invasivo (e se a empresa fizer errado, ele pode soar assim), a verdade é que ele é menos invasivo do que, por exemplo, ligações e mensagens.

 

Neste sentido, certamente se uma escola de aula de ballet criativa quiser fazer contato com seu banco de leads, dependendo da etapa em que eles se encontraram, será mais bem sucedida enviando e-mails do que recorrendo ao telefone.

 

Desse modo, conseguimos entender melhor em que sentido o e-mail marketing revolucionou não apenas a internet, mas a própria comunicação.

 

Afinal, o que conta é a expectativa do cliente e a sensibilidade que ele tem sobre como deve ser o diálogo entre as partes.

 

Provas de que o E-mail é Indispensável

Já mencionamos uma pesquisa sobre a quantidade de internautas que vêem no e-mail um canal ideal de contato. Outro argumento que demonstra como esse recurso é indispensável foi levantado por uma pesquisa da Statista, empresa digital conhecida no setor.

 

Segundo o levantamento, o mundo já está chegando ao número de cerca de 4 bilhões de contas de e-mail, e a tendência é aumentar. Você pode até pensar que alguns são profissionais, como quem trabalha com aluguel de ônibus para passeio escolar.

 

É verdade que talvez essa pessoa precise administrar o e-mail principal da empresa. Mas, pare para pensar: no fundo, mesmo nesse canal, você tem um meio de impacto de leads, que podem funcionar muito bem para levar novidades e lançar iscas comerciais.

 

Tanto é assim que a mesma pesquisa da Statista demonstra que mais de 90% das pessoas acessam sua caixa de entrada diariamente, algumas mais de uma vez por dia. Portanto, mesmo o e-mail profissional é interessante para quem pensa no marketing.

 

O que, aliás, já traz outra justificativa infalível, que é o do “marketing one to one” e da evolução pela qual a estratégia de e-mail passou nos últimos anos, tornando esse recurso muito mais eficiente.

 

Desde a criação dos primeiros e-mails gratuitos, em 1996, muita coisa mudou, sobretudo em termos de spam e de controle de fluxo.

 

Realmente, já não adianta disparar mensagens para uma “mala direta”, pois, como vimos, você pode ser penalizado.
Aí é que entra o elemento “one to one”, que é um marketing pensado quase que “um para um”. Para entender melhor, imagine, por exemplo, um serviço como borracha personalizada escolar, no qual o cliente define detalhes do produto que vai comprar.

 

Esse é o espírito, o da customização. Também assim, esse tipo de marketing é focado nas necessidades de cada cliente. Por isso tais e-mails não caem em spam, não tornam sua conta ineficiente e nem são invasivos.

 

Por Dentro do Marketing de Conteúdo

Além do alcance dos e-mails em termos de usuários no mundo todo, de acesso diário que eles fazem e até da preferência que têm por esse canal, existe um outro fator que não pode passar batido, e que já constitui uma dica de ouro sobre como fazer sua própria estratégia.

 

Trata-se do marketing de conteúdo. Uma auto escola para deficientes auditivos pode fazer toda uma campanha focada nessa estratégia, que consiste em entregar conteúdos gratuitos e de qualidade que agreguem valor aos leads da empresa.

 

Essa modalidade é famosa pelos blogs, mas também pode ser adaptada e praticada via e-mail. Assim, a empresa cria um vínculo muito maior entre as partes, aumenta sua autoridade perante o público e acelera as etapas do funil de vendas.

 

Portanto, a ideia de que os e-mails sirvam apenas para conteúdos promocionais é falsa.

 

Claro, você pode utilizá-lo para uma promoção arrasadora de aula funcional em dupla, vendendo essa aula pelo preço de uma, ou algo similar. Mas não se limite a isso.

 

Outra dica pertinente é manter uma frequência, de modo que seu público se acostume a esperar pelo disparo do seu conteúdo, seja ele diário ou semanal. Além de converter mais clientes, essa modalidade também tem uma fidelização/retenção bem maior.

 

Bônus: Como Criar Uma Lista de E-mails

Se você está começando a história da sua empresa, ou pelo mesmo a história digital dela, é possível que você não saiba como conseguir uma lista de e-mail.

 

Como ficou claro acima, disparar “para qualquer um” ou comprar um mailing genérico é o pior que se pode fazer. Imagine uma campanha de adição de categoria cnh vencida mandando e-mail para adolescentes que nem sequer dirigem, de que adiantaria?

 

Então, a primeira etapa de um bom planejamento, que foque não apenas no hoje mas também no médio e longo prazo, é não olhar só para o e-mail. Tenha uma visão abrangente e foque no multicanal, com estratégias como:

  • Blogs;
  • Vlogs;
  • E-books;
  • Infográficos;
  • Podcasts;
  • Redes sociais;
  • Quizzes.

 

Em cada uma dessas estratégias é possível você fazer um contato de qualidade com seu público e utilizar isso para captar leads e conseguir o endereço de e-mail das pessoas.

 

Graças ao blog, por exemplo, quando a pessoa buscar por aula de dança mais próxima nos motores de busca e encontrar seu artigo, isso vai gerar muito mais resultado do que se você não aparecesse ali.

 

O mesmo vale para as redes sociais e todas as demais estratégias. Marcando presença nestas plataformas, vai ser natural as pessoas deixarem os dados para contato, e então, você terá uma base cada vez maior para disparar e-mails.

 

Com isso, vemos como o e-mail marketing nunca deixou de ser importante para a publicidade de uma empresa, e como ele pode mudar seu comercial de patamar, trazendo resultados práticas e fortalecendo a autoridade da marca.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 1 =