Como Usar Email Marketing no Seu E-commerce

Atualmente, poucas empresas e marcas podem se dar ao luxo de desprezar o e-commerce, não é mesmo? Dentro desse universo, uma das estratégias mais bacanas é a do email marketing, que pode impulsionar – e muito – as vendas online.

 

Segundo dados do próprio IBGE, o Brasil é o terceiro país que mais compra pela internet, sendo o primeiro da América Latina.

 

Já chega perto de 100 milhões de compradores, alguns confessando um verdadeiro hábito de compras, e não algo sazonal.

 

Diante disto, não há empresário, segmento ou nicho de mercado que não possa se beneficiar de tais vantagens.

 

Como Usar Email Marketing no Seu E-commerce

 

Sejam indústrias do setor primário, em busca de oportunidades e negociações, sejam comércios locais, lojas, oficinas e afins.

 

O e-commerce se tornou, portanto, uma realidade; e se impõe como tal, sendo indispensável.

 

Mas o que é uma solução para muitos, de cara traz uma série de problemas ou, pelo menos, de desafios.

 

Por exemplo, com o aumento da oferta de produtos, serviços e soluções em geral, tal mercado pode acabar ficando saturado. Caberá, então, aos que tiverem um diferencial, vencer a concorrência e se firmar como marca de sucesso.

 

Certamente, um dos maiores diferenciais a ser conquistado está no marketing digital, que é justamente a ótica publicitária e comercial exercida dentro deste próprio universo do comércio online: o da internet.

 

Contudo, o marketing digital também se desdobra em várias modalidades e estratégias que, muitas vezes, podem trazer mais confusão do que ajuda.

 

Foi pensando nisso que decidimos escrever este artigo, focado, sobretudo, no email marketing. Essa estratégia específica pode ir bem mais longe do que muita gente imagina.

 

De cara, ela também não é limitada por segmentos, de modo que pode trazer resultados positivos para qualquer marca, desde que seja bem utilizada.

 

Alguns ignoram, mas o email marketing vai muito além de simplesmente disparar ofertas para este ou aquele cliente.

 

Ele pode abranger todo o funil de vendas, desde a fase de prospecção até o pós-venda.

 

Além disso, o email marketing também pode se unir a outras modalidades online e tornar-se muito mais assertivo e promissor.

 

Por exemplo, você já pensou em usar marketing de conteúdo ao desenvolver os emails que vai disparar?

 

Ou ainda, já pensou que é possível gerar tráfego e, com isso, usar o email marketing como uma das frentes de SEO das suas campanhas digitais?

 

Portanto, se você quer saber mais sobre esse universo incrível, e sobre como usar tal estratégia no seu e-commerce, fazendo suas vendas aumentarem e fortalecendo sua marca, siga adiante até o fim da leitura.

 

Alguém Ainda Para pra Ler Emails?

Artigos como esse são importantes por várias razões, afinal, várias pessoas pensam que atualmente os emails estão “ultrapassados”, por assim dizer. Sobretudo depois do sucesso das redes e mídias sociais.

 

Mas esse tipo de opinião não passa de preconceito. Seria como dizer que flyers de festa não funcionam mais, que o marketing digital substituiu pra sempre o impresso, o que sabemos não ser verdade.

 

Justamente, se o outbound, o offline e o impresso sempre vão funcionar em suas áreas, o email marketing também continua funcionando, sobretudo para impulsionar o seu e-commerce. A questão é, na verdade, saber utilizá-lo.

 

Mais do que isso, também é preciso lembrar que ele tem um excelente ROI (Return on Investment), que é o Retorno Sobre o Investimento.

 

Certamente, ele está entre os excelentes ROIs do marketing digital, precisamente porque é capaz de ser feito por qualquer um, iniciado a qualquer momento, e trazer ótimos resultados sem grandes investimentos.

 

O maior receio é, com toda razão, que ninguém vá abrir o email disparado.

 

Mais ou menos como se você mandasse imprimir um monte de cartão de visita advogado, mas não saísse à rua para distribuí-los, deixando todos debaixo da mesa.

 

Por isso, a primeira grande dica consiste no formato do seu email, o que inclui desde o título, passando pelo layout da página, até o tamanho do material e o uso assertivo de tópicos, imagens e links.

 

Abaixo, aprofundaremos essas dicas, mas lembre-se: você é seu primeiro juiz. Afinal, não tem lógica disparar emails que nem mesmo você abriria ou leria inteiros, não é mesmo?

 

Apresentação e Conteúdos de Qualidade

Tudo começa pelo layout. Existe até um conceito que define isso, que é o de “escanear a página”, que consiste em primeiro checar um site ou email de cima a baixo, antes de ler tudo que está ali. Certamente, você também faz isso.

 

Assim, por mais assertivo que consiga ser em muitos aspectos, não adianta disparar emails sobre jaleco personalizado para aquele profissional que está procurando sobre isso, se o email for longo, com título confuso e tiver péssima apresentação.

 

As imagens e tópicos seguem a mesma lógica: não exagere na quantidade. Como o email deve ser curto, use um ou dois de cada.

 

No título também não se exagera, então ele precisa ser comercial sem ser apelativo demais.

 

Algo como “Por que personalizar seus jalecos fazem sentido hoje em dia?” pode ir muito bem, por exemplo.

 

Em situações como essa, você pergunta (retoricamente) em vez de afirmar, cria um suspense agradável, dá a entender qual o tema e junto promete um conteúdo.

 

Com isso vamos ao segundo ponto fundamental: não pense que email marketing consista apenas em newsletters, isto é, em anunciar produtos com “promoções arrasadoras”.

 

O cliente atual também quer conteúdo informativo e de qualidade.

 

Lembre-se, vivemos a era do marketing de conteúdo. É preciso estabelecer uma relação duradoura com a sua persona de público.

 

As perguntas essenciais que você faz para isso são:

  • Quais os gostos do meu cliente?
  • Qual o sexo, a idade e a escolaridade dele?
  • Qual a classe social e poder de compra?
  • Qual a constituição familiar?
  • O que mais o agrada nas compras?

 

Esses pontos são essenciais por vários motivos. Não faria sentido, por exemplo, você enviar email sobre clínica veterinária 24 horas para quem não tem bicho de estimação nem trabalha na área, não é mesmo?

 

Outro motivo é o storytelling, estratégia essencial para criar algo que agregue valor, pois nela você cria uma história que ensina algo marcante, sem deixar de ser comercial. Sendo que, para funcionar, você precisa entender seu público.

 

Além disso, você também vai precisar segmentar seus emails disparados, organizando melhor sua base de leads, de modo a torná-la realmente assertiva.

 

E é aí que entra a próxima grande dica.

 

Por Dentro do Funil de Vendas e da Segmentação

Na introdução mencionamos o funil de vendas. De fato, uma boa estratégia de email marketing pode abranger desde a fase de prospecção e todo o pré-venda, até as fases finais de pós-venda e fidelização do cliente.

 

Também assim, o email marketing é uma ótima possibilidade de comunicar, atrair e fidelizar os clientes de uma empresa.

 

O que precisa ficar claro é que seu consumidor não pula da fase de ignorar a existência da sua marca para a de cliente fiel.

 

Lembre-se: a palavra do momento é customização. Imagine se, além de escrever um email com bom layout e bons conteúdos sobre cortina blecaute para quarto, ele ainda contiver o nome do cliente no cabeçalho.

 

Se isso é bacana, a customização ainda vai muito além. O essencial dela é o ciclo de vida do cliente, o funil de vendas e a etapa da “jornada da compra” em que ele se identifica. Não faz sentido “forçar” o lead a comprar, se ele ainda não estiver maduro.

 

Por outro lado, se o cliente comprou um colar de ouro, é bem provável que não vá comprar outro todo mês, concorda? Neste caso é preciso, por exemplo, disparar emails sobre manutenção e cuidados com o produto.

 

Hoje já existem softwares que ajudam a montar esse histórico de cada cliente. São os famosos CRMs (Customer Relationship Management), de Gestão de Relação com os Clientes.

 

Email Marketing, SEO e Ferramentas da Área

De todas as dicas prometidas na introdução, é possível que a mais intrigante seja a respeito de SEO.

 

Afinal, como usar uma estratégia de otimização de página para motores de busca em emails, que são páginas privadas, abertas apenas pelo destinatário?

 

Na verdade, é bem simples: você pode e deve utilizar links nos seus emails, puxando o leitor para as páginas mais bem elaboradas do seu blog ou site institucional.

 

Isso também pode auxiliar no layout, pois se o conteúdo estiver enorme basta redirecionar o leitor.

 

Certamente, um tema como reciclagem de papel não pode se encerrar em apenas um email composto de poucos parágrafos, imagens e tópicos. O melhor de tudo é que ao fazer link com seu site, você aumenta seu tráfego e sua autoridade digital.

 

Toda essa estratégia nos leva ao último ponto, que é a necessidade de ferramentas de automação. Além de CRMs, você também precisa de um software de automação de disparos, pois é claro que não vai mandar emails um a um.

 

Aliás, além da agilidade, mesmo que você quisesse disparar emails sobre pilates solo manualmente, é bem provável que você acabaria penalizado pela provedora como um disparador de spam.

 

Hoje em dia existem dezenas de opções na internet, e elas são cada vez mais acessíveis e em conta.

 

A dica é procurar aquelas que oferecem algumas semanas de serviço gratuito, pois, assim, você pode se adaptar e ver se realmente se identifica com a solução.

 

Com isso, vemos como o email marketing pode mudar a rotina de um e-commerce, tornando os clientes muito mais engajados e satisfeitos, além de fortalecer sua marca.

 

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

Referências

8 DICAS DE EMAIL MARKETING PARA VOCÊ VENDER MAIS AGORA! 
Email Marketing para Ecommerce: Você Está Fazendo Isso Certo?
Email Marketing
Email Marketing e SEO, mas não do jeito que você está pensando 

O que é Retorno Sobre Investimento? Como calcular e porque calcular

Qualquer negócio, independente do tamanho, precisa realizar investimentos ao longo do tempo. Mas é preciso saber se o que a sua empresa obteve de lucro após investir em determinada área realmente valeu a pena. O faz­ que entrar em cena o Return On Investiment (ROI) ou em português, o Retorno Sobre Investimento. Mas você está se perguntando o que significa ROI e quais as vantagens para a sua empresa, não fique nervoso.

É isso que você vai descobrir agora:

retorno sobre investimento

 

O que significa ROI, o Retorno sobre investimento?

Como o próprio nome sugere, o Retorno sobre o Investimento de uma área mede os rendimentos em relação a um determinado investimento. Ou seja, basicamente o ROI (retorno sobre investimento) mostra se os resultados alcançados pela empresa em uma área específica foram bons o suficiente para o negócio.

 

Desse modo, o ROI pode ser calculado para qualquer investimento que a empresa realizar pensando no lucro: De campanhas de Marketing a ferramentas novas, absolutamente tudo.

 

Tá, mas você sabe como calcular o ROI? Se não, não faz mal. A gente te explica:

 

Como calcular o ROI?

O que significa ROI? Como calcular
Como calcular o ROI (retorno sobre investimento) de uma ação da minha empresa?

mostre o retorno sobre investimento

 

1 ) Entenda a fórmula

Calcular o ROI dos investimentos e áreas da sua empresa é mais fácil do que você imagina. A fórmula é muito simples: Subtrai-se o lucro do investimento pelo investimento inicial e o resultado divide-se pelo investimento inicial. Para que você visualize tudo isso mais claramente, observe a equação abaixo:

ROI :

(Lucro do Investimento – Investimento Inicial ) / Investimento Inicial

*Onde:

Lucro do Investimento: O valor do meu lucro

Investimento Inicial: O valor do meu investimento em todo o processo

 

Vamos ver como isso ficaria na prática?

 

Suponha que em uma campanha de Marketing da sua empresa o seu lucro tenha sido de 18 mil reais, enquanto que o meu investimento para realizar tal campanha tenha sido de 6 mil reais. O cálculo do meu ROI ficaria assim:

ROI :

(18000 – 6000 ) / 6000 = 12000 / 6000 = 2

 

Nessa suposição, o ROI dessa campanha de Marketing foi igual a 2, isto é, o meu retorno foi duas vezes maior que o meu investimento. O dobro. Ou seja, o meu ROI, em percentual, foi de 200%.

 

Lembrando que para transformar o valor do seu ROI em porcentagem basta multiplicar o seu resultado final por 100, ok?

 

Ah caso o valor do ROI for negativo, por exemplo, significa que o valor do investimento superou o retorno, ou seja, houve perda de recursos.

 

A fórmula em si é muito clara, não? Mas é preciso que você fique atento aos dados que emprega para o cálculo do ROI.

 

Como assim? Você deve estar se perguntando. É isso que vamos explicar a seguir:

 

2 ) Saiba com exatidão todos os seus custos e ganhos

Antes de calcular o ROI, você precisa saber quais são seus gastos. Todos, até mesmo os menores. Por isso a organização das finanças do negócio é muito importante.

 

Falamos isso porque incluir o valor correto no cálculo permitirá que o resultado do seu ROI seja o mais exato possível. Considere, assim, todo dinheiro que foi empregado considerando o tempo gasto.

 

3) Nunca desconsidere a sensibilidade dos membros da sua equipe

Infelizmente, é importante deixar claro que, mesmo fazendo tudo isso que falamos até agora, existem condições externas que impossibilitam que o cálculo do ROI seja medido de maneira totalmente fidedigna.

 

Isso ocorre porque uma ação poderá surtir efeito no resultado do ROI de outras ações diferentes feitas pela empresa. Além disso, o investimento da concorrência também influenciará sempre na escolha do seu público.

 

Por isso, você não pode enxergar o ROI como o “senhor da razão” do seu negócio. O ROI é uma métrica, e como qualquer outra: A interpretação e a observação é fundamental. Nessa hora, a sua equipe mais uma vez entra em cena.

 

A sensibilidade de cada um dos membros de cada área de toda a empresa será crucial. Com honestidade e compromisso, os colaboradores têm muito a oferecer, pois são eles que estão todos os dias ali e, por isso, conhecem a realidade dela como ninguém. Permita que façam parte de todo o processo.

 

Até porque não existe um número ideal de ROI ou um valor específico considerado insatisfatório. É a empresa que, em parceria com seus membros, definirá qual valor quer atingir em determinado momento. Cada caso é um caso. Avaliar cada um individualmente com sua equipe será a chave do sucesso do negócio.

 

Quais as principais vantagens de calcular o ROI?

O que significa ROI? Qual a sua importância para minha empresa?
Qual a importância do ROI para a minha empresa

 

Acho que depois de observar o cálculo e a definição de ROI deu para entender um pouco sobre a sua importância, né? Mas a gente resolveu listar algum dos principais benefí­cios para você não ter dúvidas de como esse indicativo pode fazer a diferença para o seu negócio.

 

1 ) Diminuir os gastos e aumentar os lucros

A partir do ROI é possí­vel saber se o que foi investido realmente propiciou o lucro considerado suficiente. Por isso é fundamental que se faça o ROI para as várias áreas e ações da empresa. Depois do resultado, você saberá exatamente o que está funcionando e o que não está.

 

Ao identificar isso, a empresa poderá mexer em tudo aquilo que está gerando desperdícios de recurso, facilitando o corte desses gastos posteriormente. O melhor é que, ao fazer isso, os lucros aumentarão, automaticamente.

 

Contudo, é importante que se tenha calma. Quando falamos de investimentos temos que entender que existem muitos que só gerarão lucros consideráveis depois de muitos meses e até anos.

 

Estude antes de por em prática suas estratégias e respeite o tempo considerado necessário para que existam resultados. Muita paciência e bom senso nessa hora, ok?

 

2 ) Melhorar constantemente

Porém, o ROI não se restringe a apenas a identificar tudo que está gerando retorno suficiente e o que não… Pois até mesmo aquilo que está dando certo pode – quase sempre – melhorar.

 

Ao acompanhar o retorno sobre o investimento com frequência você perceberá mais claramente como cada mudança se comporta e quais ações tomar a partir delas.

 

Imagina como o histórico do ROI te auxiliará significativamente com o passar do tempo? Isso não é demais?

 

3) Tomar decisões mais rápido

É sobretudo pensando nisso que você deve compreender que o ROI (retorno sobre investimento) jamais pode ser esquecido numa planilha. Assistindo e analisando seu comportamento frequentemente, as modificações necessárias poderão ser tomadas mais rapidamente.

 

Se o ROI fala de dinheiro e tempo é dinheiro dá para compreender porque a partir dele conseguimos estabelecer prazos de maneira mais efetiva, certo?

 

A intenção é que a empresa inteira esteja envolvida para que todos saibam exatamente o que será feito e o porquê disso. Transparência é a chave para que cada um se esforce buscando atingir os resultados. Fica muito mais palpável para a equipe, não é mesmo?

 

4) Motivar a equipe

Lembra sobre o que falamos anteriormente da importância da equipe ao se trabalhar com o retorno sobre investimento (ROI)? É exatamente disso que estamos falando.

 

Quando a empresa inclui todos os colaboradores para atingir determinada meta, a equipe se motiva porque vê uma razão concreta para trabalhar. Já ouviu algo sobre conseguir que o foco se torne os resultados e não mais os esforços para atingi-los? É isso que acontece.

 

O interessante de envolver cada pessoa em particular é que todos reconhecem a sua importância dentro da organização. E esse é um dos modos mais certeiros de motivar qualquer equipe.

 

Se todos se sentem partes fundamentais de um todo, como poderia ser diferente?

 

5) Mirar em metas reais

As empresas que introduzem o retorno sobre investimento de maneira correta no cotidiano de suas ações conhecem melhor a sua realidade atual. Por isso, as metas estabelecidas passam a ser bem mais coerentes e realistas.

 

Além disso, tais metais passam a ser palpáveis quando se tem uma meta maior envolvida em cada ação (o valor do ROI, nesse caso).

 

Aliás, quando se usa o ROI da maneira certa entende-se que seu valor vai variar muito de acordo com a época do ano. Assim todos compreenderão melhor a razão dessa mudança e quais números serão ideais para cada período específico, certo?

 

E não para por aí… O ROI, quando bem empregado, propicia que haja menos números no arquivo e mais direção na cabeça dos membros da empresa. De fato, não dá para acertar a mira se você nem sabe ao certo onde mirar, não é mesmo?

 

Ficou fácil entender por que o ROI é tão eficiente? É por isso que é considerado um dos melhores indicativos para se utiliza em todo tipo de negócio.

 

Dessa maneira, é importantíssimo que cada empresa saiba exatamente quais são seus objetivos e como o ROI (retorno sobre investimento) pode ajuda-la para alcança-los.


Fonte: Blog Leadlovers