4 Dicas para engajar clientes da geração Z

Saber qual é o público que se está comunicando é um dos elementos primordiais para qualquer estratégia de marketing. Entender, nesse caso, quais são os agentes motivadores da geração Z acaba sendo um fator decisivo na comunicação.

Os avanços tecnológicos, em grande medida, acabaram fundamentando uma série de dinâmicas que foram se consolidando dentro dessa lógica.

A era de ouro do rádio fundamentou uma série de impressões dentro da sociedade civil que foi importante para as propagandas políticas, por exemplo.

Já os anos 60 com a fundamentação da juventude no cinema e, também, com o surgimento de uma música jovem possibilitaram uma série de perspectivas.

Esses desdobramentos ganharam ainda mais elementos quando as tecnologias digitais passaram a assumir um papel preponderante na vida das pessoas.

Diante de tudo isso, o conceito de geração passou a ser amplamente difundido dentro dessa perspectiva.

Entender, portanto, o que isso significa e quais são as suas principais manifestações acaba sendo essencial.

Um breve panorama sobre as gerações

Antes de entrar em uma especificidade a respeito de alguma geração, é importante entender o que isso significa.

Nesse caso, quando se fala em geração, o enunciador está recorrendo a um elemento da biologia aplicada às ciências sociais.

Essa categoria, na verdade, tem relação com a possibilidade de seres geraram descendência em um determinado período.

Esse aspecto, no entanto, acabou fazendo parte do imaginário coletivo dentro do âmbito social e sequer é relacionado à área que ela veio.

No marketing, esses elementos passaram a fundamentar uma série de posturas para que as empresas pudessem agir de forma mais elaborada.

Ou seja, se a intenção é vender mais elementos de decoração para inauguração para o público jovem, isso, certamente, pode não dialogar com gerações mais velhas.

Isso pode ser representado, inclusive, por uma terminologia muito utilizada pelas pessoas chamada conflitos geracionais.

Essa representação é importante para entender que cada um desses elementos têm características importantes que precisam ser consideradas.

Muitas vezes, inclusive, algumas perspectivas acabam se tornando conflitantes no campo das interações humanas.

Isso acontece, sobretudo, por conta de um senso de proteção que as gerações mais antigas têm para com o mundo.

Contudo, é essa ruptura que possibilita que uma empresa de paletização de caixas de papelão consiga definir seu público de forma mais clara.

Seja como for, as gerações são elementos fundamentais para entender a sociedade contemporânea.

Afinal de contas, elas funcionam como termômetros para a compreensão de cada grupo societário diferente.

Nesse caso, é importante apontar para alguns esclarecimentos fundamentais sobre o tema. As gerações passaram a ser denominadas da maneira que conhecemos agora no pós-guerra e são elas:

  • Baby boomer;
  • Geração X;
  • Millennials;
  • Geração Z;
  • Geração alfa.

Logicamente, essas são algumas denominações geracionais mais generalistas e, é certo, que cada pessoa possui características distintas e nem sempre se enquadram nesses elementos.

No entanto, é importante ter em mente quais suas características principais para que não se caia em generalismos.

Baby boomer

Essa geração corresponde às pessoas que nasceram no pós-guerra até a década de 1960, mais especificamente entre 1945 e 1960.

Essa nomenclatura deriva da grande taxa de natalidade que esse período compreendeu e, portanto, trouxe algumas dinâmicas sociais específicas.

Os baby boomers são uma geração mais estável que busca uma certa segurança quanto às suas relações sociais.

Nesse caso, um anúncio de portaria remota orçamento, por exemplo, poderia se basear em elementos televisivos para engajar.

Geração X

A geração X sucedeu o baby boomer e viveu um dos apogeus das revoluções culturais da década de 1960.

Isso vai desde a cultura jovem em pleno crescimento até os desdobramentos de maio de 1968 em Paris.

Seja como for, esse tipo de perspectiva acabou moldando essa geração de uma forma um pouco mais dinâmica e com um senso de juventude mais abrangente.

Nesse caso, uma oficina mecânica especializada em suspensão já pode fazer uso de alguns elementos da cultura pop para constituir sua comunicação.

Millennials

Os millennials são aqueles que viveram a sua juventude nos anos 2000, mas que nasceram na década de 80 e começo da de 1990.

Ela, por sua vez, traz algumas características de inserção digital bastante abrangente, apesar de tardia.

Seus elementos mais importantes estão relacionados ao consumo de entretenimento e, também, ao engajamento social.

Seja como for, é importante manter uma linguagem baseada nesses aspectos para, por exemplo, anunciar um treinamento para mulheres habilitadas.

Geração Z

Considerada a primeira geração que de fato cresceu dentro da era digital, a geração Z tem algumas características importantes.

Seu perfil é muito mais dinâmico e integrado a todos os aspectos que fundamentam a vida digital de uma forma mais ampla.

Comunicar-se com ela, no entanto, não é uma tarefa tão simples, uma vez que elevou-se, também, o critério de consumo.

Geração alfa

Esses aspectos que se manifestam dentro de uma perspectiva da geração Z acaba sendo decisiva para a geração alfa.

Ou seja, essas pessoas já cresceram e se desenvolveram na era do consumo sob demanda e buscam orientar seus hábitos a partir disso.

A importância do engajamento

Para começar a entender como engajar qualquer público baseado em qualquer geração, é importante entender o que de fato isso significa.

Afinal de contas, muito se fala nessa perspectiva, mas nada é feito para trazer algumas denominações à ela.

O engajamento é, nesse sentido, um dos elementos que garantem que uma marca se constitua de uma forma contínua dentro de uma perspectiva de mercado.

Isso pode ir desde as redes sociais ou, até mesmo, ações dentro do ambiente social e analógico, por exemplo.

Essa categoria faz referência à aproximação possibilitada através de algumas ações específicas de marcas.

Uma loja de comida congelada para emagrecer que consegue engajar seu público em redes sociais tem relação com a manutenção de algumas práticas que garantam aproximações nesse ambiente.

Sua importância, portanto, reside na capacidade de uma empresa conseguir se destacar de forma orgânica dentro de um segmento de mercado.

Geração Z e o consumo

Como dito anteriormente, essa é uma geração que está completamente imersa dentro das lógicas digitais. 

Por esse motivo, seus hábitos de consumo acabam se relacionando, justamente, com alguns desses ambientes.

Por conta da possibilidade de segmentação, a geração Z passou a ser um público muito mais exigente quanto aos estímulos que ela recebe.

Além disso, a sua busca, muitas vezes, está ancorada em uma série de perspectivas que levam em consideração alguns aspectos sociais.

Isso, portanto, pode nortear a compra de um smartphone ou, até mesmo, a contratação de um expositor para mercadinho.

Como engajar a geração Z?

Um dos públicos munidos de maiores complexidades está relacionado à geração Z como elemento de target, ou alvo.

Isso porque, diante das diversas possibilidades do meio digital, apesar de suas características parecidas, há um grande espaço para algumas fragmentações.

No entanto, é possível apontar para alguns elementos que podem auxiliar nessa perspectiva  de engajamento.

Marketing de influência

Por conta da grande amplitude que há dentro desse âmbito, o marketing de influência pode ser uma forma de uma marca encontrar seus segmentos.

Essa perspectiva tem relação com a contratação de influenciadores para trazerem alguns anúncios para a marca.

Por exemplo, dentro de um universo gamer, anunciar o valor de locação de desktop pode ser uma alternativa bastante salutar.

Valores

Como dito anteriormente, a preocupação com causas sociais é um dos elementos que acabam fundamentando essa geração.

Nesse caso, uma empresa que tenha valores bem definidos pode enfrentar um grande diferencial na hora de se comunicar com o seu público.

Autonomia e dinamicidade

Ter uma autonomia bem definida dentro das plataformas de compra de uma empresa pode ser essencial para garantir alguns elementos.

Afinal de contas, essa é uma geração muito dinâmica e, por isso mesmo, precisa de algumas liberdades para exercerem suas ações de compra.

Isso acontece, porque não há espaço para uma espécie de noção de perda de tempo nesse âmbito.

Comunicação multicanal

Embora a geração Z esteja presente de forma bastante amplificada dentro do ambiente digital, é importante entender quais são os elementos que acabam tendo maior impacto nesse público.

Afinal de contas, há uma série de redes sociais e possibilidades também dentro do meio digital.

Garantir uma presença qualificada nesses espaços de forma unificada pode ser um elemento primordial para garantir que essa relação se desenvolva.

Considerações finais

Diante dos avanços tecnológicos e das mudanças de comportamentos que a sociedade vai enfrentando com o passar dos anos, é importante que alguma denominação dê conta desse fenômeno.

É por conta disso que o conceito de gerações passou a fazer parte do imaginário coletivo de forma tão amplificada.

Saber compreender esses elementos, portanto, pode ser uma forma de classificar um público de forma bastante qualificada.

Contudo, dentro das especificidades de cada um deles, a geração Z acaba ganhando um certo destaque.

Isso acontece porque ela é um público consumidor em crescimento e, também, por conta de seu caráter digital muito proeminente.

Compreendê-la significa, portanto, consolidar-se dentro de uma lógica de mercado de uma forma bastante amplificada.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 − 8 =