Bloqueio criativo: 6 Dicas que vão te ajudar a passar por isso

Como o processo criativo depende de condições saudáveis de raciocínio, o bloqueio criativo é um problema que indica sinais de cansaço ou insatisfação com o que é feito.

 

O bloqueio criativo se manifesta na incapacidade de desenvolver material na forma de texto ou arte na frequência como se costumava fazer, tornando a geração de ideias um processo difícil, doloroso e nada natural.

 

Muitos que passaram por esse processo puderam descrevê-lo como uma espécie de greve mental, em que o cérebro se recusa a executar tarefas que antes fazia naturalmente.

 

Nesse artigo, conheça as causas e as mais efetivas soluções para esse problema.

 

Bloqueio criativo: 6 Dicas que vão te ajudar a passar por isso

 

Por que o bloqueio criativo acontece?

O bloqueio criativo é um processo mental de exaustão, influenciado por aspectos internos e externos ao funcionamento do organismo.

 

Desde alimentação até a insatisfação com o trabalho, as causas principais para os bloqueios criativos são listadas em:

 

Problemas emocionais

A exaustão mental pode ser motivada por um conjunto de emoções negativas que dominam o cérebro e a longo prazo, podem prejudicar a percepção do indivíduo e desencadear uma série de sintomas, como:

  • Apatia e desânimo;
  • Sensação de desesperança;
  • Dificuldade de concentração;
  • Alterações de humor durante o dia.

 

Quando o indivíduo apresenta esses sintomas junto ao bloqueio criativo, é recomendada a procura por um profissional especializado na psicologia humana para investigar as raízes do problema. Uma vez solucionadas ou minimizadas, o bloqueio também cede.

 

Problemas técnicos

Os problemas técnicos estão diretamente ligados à capacidade que um indivíduo possui de explorar determinado tema.

 

Usualmente, o bloqueio aparece, nesses casos, como um resultado da falta de pesquisa e do entendimento incompleto sobre determinada questão.

 

A criatividade é estimulada como um processo de percepção de fenômenos externos de todo tipo.

 

Para tal, é importante a presença de dados brutos que estimulem o pensamento racional e a capacidade de relacionar informações.

 

Problemas ambientais

Um dos motores para a insatisfação no trabalho, os problemas ambientais são circunstâncias externas que prejudicam a execução de tarefas.

 

Lideranças incompatíveis, ambiente organizacional insalubre e demandas excessivas são alguns dos motivos.

 

Os problemas ambientais são facilmente identificáveis a partir de uma análise do contexto externo e podem desencadear problemas emocionais a longo prazo.

 

O investimento em infraestrutura, como um aluguel de escritórios, pode solucionar a questão.

 

Saindo do limbo em seis passos

Para libertar-se dessa espiral de inatividade, é importante ir com calma e investigar as raízes por trás do evento.

 

A série de seis dicas listadas pode ajudar a tomar decisões efetivas e confortáveis para melhoria do bloqueio criativo.

 

1 – Saia de seu nicho

Muitos casos de bloqueio criativo são motivados pela abordagem exaustiva de um único assunto.

 

Como o processo criativo depende da experiência com o assunto tratado, permanecer no mesmo nicho restringe muitos pontos de inspiração.

 

É recomendada a exploração de nichos distintos no momento de um bloqueio criativo.

 

Essa prática pode se manifestar no consumo de outros gêneros de arte, como a música, a pintura e o cinema em cursos online, por exemplo, para aqueles que atuam na literatura.

 

Além de sair de uma zona de conforto, a exploração de novos nichos pode despertar preferências ainda não percebidas, além de gostos que podem provocar sensações positivas que relaxam o cérebro e estimulam a intuição.

 

O cérebro humano é capaz de fazer associações improváveis entre objetos muito diferentes, sendo este o principal motor da criatividade vista em uma fachada de loja moderna.

 

Portanto, ser criativo depende do contato constante com o que é diverso e novo. 

 

2 – Se engaje em experiências sensoriais

As experiências sensoriais representam grande parte das informações adquiridas do meio ambiente, algo que torna a visualização em algo tridimensional, com um sentido mais profundo e maiores chances de conexão criativa.

 

Os órgãos dos sentidos relacionados à sensação são o olfato, paladar e tato, fundamentais para a identificação de gostos, perigos e texturas que compõem o ambiente.

 

Experiências sensoriais podem ser a prática de esportes, um projeto de culinária ou jardinagem.

 

Atividades motoras são estimulantes mentais, capazes de provocar a secreção de neurotransmissores ligados à felicidade e ao prazer, como dopamina e serotonina.

 

Além disso, tais práticas melhoram a qualidade do sono e a retenção de memória.

 

Investir em uma atividade sensorial que seja interessante, como a produção de uma caneta personalizada para empresa é um auxílio na superação do bloqueio criativo, posto que esta condição é provocada pelo cansaço e pela falta de estímulos de alto impacto.

 

3 – Cheque seus níveis de estresse

O estresse é um vilão para o processo criativo, um gerador de emoções negativas como medo e raiva, responsáveis por colocar a mente em um modo de defesa, o famoso “fight or flight”, que pode ser traduzido como fuga ou ataque.

 

O indivíduo que se encontra nesse estado mental não tem condições de elaborar o pensamento racional mais complexo, uma vez que esta área do cérebro foi sequestrada por fortes emoções e comportamento instintivo.

 

A falta de atividades relaxantes, problemas ligados à quantidade de sono diário e à alimentação, bem como questões de estima e de relacionamentos podem influenciar os níveis de estresse, potencializando o bloqueio criativo.

 

É importante que a pessoa analise suas condições de saúde mental, as circunstâncias externas as quais está inserida, a ansiedade em um ponto importante da vida, como na abertura de empresas, pode afetar o processo criativo individual.

 

Sintomas que acompanham o bloqueio criativo como mudanças de humor e apatia devem ser investigados com maior perícia.

 

Consultar um profissional psicólogo ou psiquiatra é recomendado para esses casos mais graves.

 

4 – Crie um esqueleto do conteúdo

Após analisar as causas de seu bloqueio criativo e investir em algumas ações relaxantes, o próximo passo é estabelecer um plano que ajude na construção do texto.

 

Para autores, investigar as técnicas de storyline é um bom modo de esquematizar o processo.

 

A escrita pode ser mais fácil quando há um roteiro com informações prévias organizadas, o que pode ser chamado de esqueleto do conteúdo.

 

Nele, o autor divide os assuntos que deseja discorrer em início, meio e fim, como em um balcão de venda.

 

O processo de criação de um esqueleto é mais simples que a própria escrita e por isso, não exerce muita pressão sobre o bloqueio criativo ainda em curso.

 

Ao mesmo tempo, a prática estimula a capacidade humana de contar histórias e desenvolver um argumento.

 

Para conteúdos mais longos, os arcos dramáticos são um esquema útil para o autor, amplamente utilizado em obras de ficção.

 

Para artigos, defina o que será dito no desenvolvimento com antecedência, trabalhando a introdução e conclusão depois.

 

5 – Teste novos horários

A execução de uma mesma tarefa em um horário definido pode tornar-se desgastante com o passar do tempo.

 

É verdade que no início, para estabelecer um hábito, é importante definir um local e tempo padrão, de modo a facilitar sua execução diária.

 

Contudo, com o desenvolvimento deste hábito, uma vez já estabelecido, o indivíduo pode sentir-se desmotivado com o marasmo da repetição.

 

Além disso, o horário previamente escolhido pode não ser o melhor, o momento de maior energia e disposição.

 

Assim, um modo de superar o bloqueio criativo pode ser testar novos horários para a execução do trabalho para uma fábrica de camisetas lisas.

 

Algumas pessoas sentem-se mais dispostas nas primeiras horas do dia, enquanto outras se animam no final da noite.

 

O nível de silêncio também gera grande impacto sobre o poder de concentração e a motivação do criador de conteúdo.

 

Horários mais calmos, com um número reduzido de distrações gera um efeito calmante que melhora o fluxo de raciocínio.

 

6 – Busque referências e faça um brainstorm

O brainstorm é uma prática que consiste no registro de várias ideias soltas, no momento em que elas surgem na mente.

 

O objetivo é anotar qualquer linha de pensamento, ainda que minimamente desenvolvida, apenas para não perdê-la de vista.

 

No trabalho em equipes, o brainstorm se torna uma atividade de grupo que estimula o pensamento criativo de todos os seus membros, bem como o raciocínio lógico. A palavra é uma junção entre “brain (cérebro)” e “storm (tempestade)”.

 

Caso o bloqueio criativo seja muito intenso, a busca por referências externas pode ser uma boa alternativa.

 

Alguém que deseja escrever sobre plotagem veicular, por exemplo, pode fazer uma pesquisa por palavras-chave e avaliar o que foi feito por outros criadores.

 

Conclusão

Sendo assim, o bloqueio criativo é um inimigo para a produção de conteúdo, mas um processo pelo qual qualquer autor ou artista já enfrentou em algum momento.

 

Para superá-lo, é necessário compreender o que aconteceu de errado e agir em torno disso.

 

Como um sintoma, o bloqueio criativo não deve ser visto como um problema em si, mas como uma indicação de que algo deve ser corrigido. Desta forma, mantém-se a saúde do produtor de conteúdo e a qualidade do que é escrito.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

catorze + 14 =