5 Dicas para desenvolver uma identidade visual para uma loja

Todo mundo já deve ter ouvido a afirmação que diz que “uma imagem vale mais do que mil palavras”. Mas, poucos empresários ou gestores entendem como isso se traduz na identidade visual de uma marca que quer se fortalecer no mercado.

 

De fato, se a questão da imagem que “vale mais que mil palavras” já era assim antes (esse ditado é bem antigo), quanto mais atualmente, na era digital em que vivemos.

 

Sendo assim, a importância cresceu mais ainda, tornando-se hoje imprescindível.

 

Imaginemos uma empresa que vende refeições e decide fazer uma embalagem para comida delivery.

 

5 Dicas para desenvolver uma identidade visual para uma loja

 

Se ela acertar a mão no uso das cores, das formas e da tipografia, ela simplesmente se tornará conhecida rapidamente em toda a região.

 

Afinal, sempre que as pessoas virem uma entrega sendo feita, vão acabar identificando de longe qual é a empresa que está por trás do serviço.

 

Aqueles que não conhecerem, vão acabar sentindo curiosidade e irão atrás de saber do que se trata.

 

Por outro lado, quando uma marca não consegue fazer um bom uso desses elementos, ela simplesmente passa batido, ficando despercebida.

 

Os efeitos disso são terríveis, tanto para as vendas do dia a dia quanto no médio e longo prazo.

 

É justamente aí que surge o conceito e o suporte da identidade visual, que pode transformar qualquer loja em um ponto referencial naquela região.

 

Lembrando que isso não se limita apenas à fachada ou arquitetônica do local, mas vai além.

 

Por exemplo, a loja pode implementar, depois da caracterização do seu estabelecimento, também a comunicação visual para carros.

 

Quando ela não tiver entregadores próprios, pode expandir isso para clientes ou parceiros, na base de promoções.

 

Além do mais, a identidade visual também estará presente nas outras comunicações da marca.

 

Isso pode ir desde panfletos e folders até uma plataforma digital completa, com site institucional, blog, redes sociais, e-commerce e muito mais.

 

Além de conselhos e 5 dicas que qualquer empresário ou gestor já pode começar a colocar em prática.

 

O mais bacana é que hoje a estratégia da identidade visual evoluiu tanto que realmente ela já pode ajudar qualquer empresa, seja no setor de serviço como instalação de painel backlight, ou então para venda de produtos populares ou nichados.

 

Portanto, se você quer entender melhor como esse universo incrível funciona, fazendo sua marca dar um salto de qualidade no seu segmento, basta seguir adiante na leitura.

 

O que é identidade visual?

Ao descrever melhor o que é a identidade visual, conseguimos deixar claro sua importância e os impactos positivos que ela pode trazer para um negócio.

 

Sabe quando você pensa em uma marca de refrigerante, de celular ou mesmo de pasta de dente, e já vem um logotipo específico em sua cabeça? É disso que se trata a identidade visual, como algo que se torna único e marcante.

 

É claro que não são todas as marcas que conseguem atingir esse nível, porém, é preciso fazer um esforço tremendo para convergir nessa direção. A vantagem é justamente essa de se tornar inesquecível na memória da clientela.

 

Imagine uma avenida com placa luminosa de várias marcas. Se a sua tiver uma identidade visual bem feita, você acabará dominando o mercado, afastando a concorrência e conquistando a clientela da região.

 

Assim, alguns dos elementos que compõem a identidade visual são os seguintes:

  • O logotipo;
  • A tipografia;
  • As cores;
  • As embalagens;
  • As formas;
  • A fachada;
  • Os templates.

 

Enfim, todos os elementos visuais ou gráficos podem (e devem) compor uma unidade, seguindo um perfil harmonioso que vai determinar a identidade visual de uma marca como algo único e realmente intransferível.

 

Abaixo vamos verificar em detalhes como você desenvolve sua própria identidade. Com as dicas você já pode pegar maneiras simples de ir aplicando essa nova identidade na sua loja, ao decorrer do processo de criação.

 

1. Tenha um planejamento

É muito comum algumas empresas tentarem definir a identidade visual do negócio ou tentarem implementar qualquer outra novidade, e fracassarem por falta de objetividade e clareza.

 

Se tem algo que pode ajudar a não cair nisso é o planejamento, que define de antemão quais os esforços que vão ser colocados em prática, e qual a finalidade de cada um deles.

 

Aqui uma dica de ouro é usar um briefing, que é um documento ou recurso bastante utilizado no mundo do design, da publicidade e do marketing, em geral.

 

Se a empresa trabalha com instalação de painel canaletado loja, basta compor esse documento perguntando-se sobre pontos essenciais do seu negócio. Parte disso é o que podemos chamar de “identidade verbal”.

 

Aqui é a hora de definir melhor sua filosofia de trabalho e sua missão, bem como os diferenciais do seu produto ou serviço, os desafios do mercado e da concorrência, além de traços mais profundos do seu público-alvo.

 

Afinal, como saber que tipo de logotipo vai impactar positivamente o seu alvo se você nem sequer sabe como ele pensa? Isso é o que atualmente se chama definir os perfis da sua persona, algo tão importante que será aprofundado abaixo.

 

2. Domine os perfis da persona

Antigamente se falava muito em público-alvo, como algo limitado a saber mais ou menos a profissão dos seus clientes, a faixa etária e o poder aquisitivo.

 

De fato, o esforço não ia muito além disso. Porém, hoje uma empresa precisa entender bem mais a fundo quem é seu cliente em potencial, especialmente na hora de desenvolver uma identidade visual para a loja.

 

Se o foco está em produzir caixa de papelão personalizada com logo, é possível levantar os seguintes questionamentos:

  • Quem é o meu cliente ideal?
  • Onde eu posso encontrá-lo?
  • O que ele faz nas horas vagas?
  • Como ele consome novidades?
  • Ele curte filmes, séries e música?
  • Quais redes sociais ele prefere?
  • O que ele ama que uma marca faça?
  • O que ele odeia em uma marca?

 

Enfim, ao responder essas perguntas você deve criar dois ou três perfis, como nomes e até fotos de pessoas reais.

 

Portanto, cada decisão que você for tomar na definição da identidade visual (do logotipo até as cores e formas aplicadas), vai levar em conta esses perfis.

 

3. O poder do brainstorming

Um aspecto essencial aqui é que a criação conceitual de uma marca nunca deve ser feita por um “lobo solitário”.

 

Sendo assim, mesmo se não for contratar uma agência de marketing (que trabalharia com um time multidisciplinar), conte com o reforço dos sócios ou mesmo dos colaboradores.

 

Assim, com o planejamento ou briefing e os perfis da persona em mãos, é hora de fazer essa “chuva de ideias” ou “chuva cerebral” (tradução aproximada do termo brainstorming).

 

Uma equipe que trabalha com balão de decoração pode ter mil e uma ideias, nem todas serão aproveitadas, é claro. Mas, o importante é ter a liberdade de criar livremente.

 

4. Os 2 pilares do seu estilo

Quando as ideias começarem a ganhar forma, sua identidade visual já deverá ter os três pilares fundamentais dessa estratégia: as cores e as formas.

 

É isso que vai definir o seu estilo, imprimindo-se no adesivo para logotipo que você dá de brinde, na própria tipografia do slogan, nas embalagens, na fachada da loja e em tudo o mais.

 

Basicamente, as cores devem ser frias ou quentes, para só depois oscilarem nas opções mais próximas na paleta.

 

Por exemplo, vermelho vivo chama atenção e desperta a fome, então é ótimo para um fast food.

 

Já a cor vinho é mais sóbria e seria perfeita para uma gastronomia mais seletiva, como bebidas especiais. A diferença está no tom mais quente ou mais frio.

 

O mesmo vale para as formas, que oscilam entre retilíneas e arredondadas. Neste caso, as primeiras são mais sóbrias e mais formais.

 

Exemplos de aplicação são setores de advocacia, contabilidade ou mesmo indústria moveleira.

 

Já as formas arredondadas são mais descoladas e informais, ou mesmo infantis. Por isso, uma loja de móveis para crianças iria bem com essa opção.

 

No fim, o estilo é definido por esses dois pilares, que vão determinar tudo o mais.

 

5. Bônus: o que repaginar?

Por fim, após criar a identidade visual de sua loja, é preciso saber aplicá-la em todos os elementos que a suportam.

 

Eles costumam incluir a fachada, a vitrine e os aspectos gerais da arquitetônica, a depender do tipo de estabelecimento.

 

Um restaurante pode permitir tantas possibilidades quanto uma loja de roupas, só depende de você.

 

Depois, invista em panfletos, flyers, cartão de visitas, embalagens e até uniformes que levem em conta sua identidade, fazendo jus a todo o esforço empreendido.

 

Considerações finais

Portanto, falar em identidade visual é o mesmo que discutir os elementos mais profundos da marca, que inclusive passa pela “identidade verbal” e pela filosofia de trabalho.

 

Para isso, além de ter um planejamento e um briefing, é fundamental entender a fundo o seu mercado, a persona do público, o papel dos funcionários e os pilares que vão nortear seu esforço, inclusive indicando o que precisa ser repaginado em seu negócio.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − oito =