Empresas Nativas Digitais e Seus Desafios No Mercado

O mundo é cada vez mais digital. A maioria das coisas que antes fazíamos presencialmente agora podem ser feitas pela internet: pagar contas, pedir comida e até mesmo se encontrar com os amigos.

 

Por exemplo: quantas vezes você não usou um vale Submarino para suas compras on-line? Ou descobriu através das redes sociais uma marca de roupas? Isso já é realidade.

 

Empresas desse tipo são chamadas de empresas nativas digitais e possuem uma série de características que as diferenciam de empresas tradicionais.

 

Empresas Nativas Digitais e Seus Desafios No Mercado

 

O que são empresas nativas digitais?

Empresas nativas digitais (também conhecidas como DNVB, isto é, Digital Native Vertical Brand) são empresas que já nasceram digitais, de forma que sua comunicação com os clientes é feita de forma online desde o começo do negócio.

 

Além disso, elas possuem uma comunicação muito própria, de forma que se conectam de forma profunda com o cliente, promovendo uma experiência marcante.

 

Nesse sentido, empresas assim constroem bem a sua marca, com uma identidade visual, missão, visão, valores e vários outros pontos bem definidos.

 

Outro ponto fundamental é o de que elas se comunicam diretamente com os seus clientes, optando pelo modelo business to consumer (B2C), ao invés do modelo business to business (B2B) de algumas marcas tradicionais.

 

Assim como a comunicação é feita com os clientes através da internet, a venda também é feita de forma online.

 

Quais são as particularidades das empresas nativas digitais?

Como já foi abordado, as DVNB são aquelas empresas que já começam suas operações através da internet, possuindo, assim, muitas particularidades.

 

Primeiramente, essas companhias não estão limitadas à sua região de atuação: elas atuam na internet e podem alcançar pessoas de todo o mundo.

 

Por outro lado, essas empresas costumam ter seus próprios valores e, com isso, alcançar clientes de nichos específicos. Nesse caso, elas preferem segmentar sua audiência para serem mais relevantes.

 

A possibilidade de trabalhar na internet dá a essas marcas o ganho de escala, ou seja: não custa tanto para alcançar novos clientes como ocorre em uma empresa tradicional, do mercado físico.

 

No entanto, muitas empresas precisam lidar com dificuldades comuns a esse setor, como o churn — quando um cliente para de consumir os produtos e serviços da empresa.

 

Por isso, as empresas nativas digitais precisam verificar a todo momento as suas métricas financeiras através de cálculos como CAC (custo de aquisição do cliente) e LTV (lifetime value, o valor total que o cliente gera à empresa).

 

Por fim, uma característica em comum é a de que essas empresas estão sempre investindo em melhorias tecnológicas para seus produtos e serviços, suas plataformas digitais e sua comunicação com o cliente.

 

Exemplos de empresas nativas digitais

Existem diversas empresas dessa natureza que já conquistaram o Brasil e o mundo com suas soluções inovadoras.

 

No Brasil, por exemplo, temos a Submarino, loja de compras online que tem operações desde 1999. Ela já se consagrou como um dos maiores nomes do e-commerce no país.

 

Outra empresa brasileira que se consagra dessa forma é o Nubank, empresa que alia tecnologia e soluções financeiras para os seus clientes.

 

Ainda que seja de um setor tradicional, o banco digital conseguiu criar sua própria identidade e criar identificação com seus clientes, que buscam soluções financeiras mais eficientes.

 

Já a Amaro oferece soluções de moda, beleza, bem-estar e casa voltadas para o público feminino, conquistando clientes de todo o país.

 

Entre as marcas estrangeiras, é possível citar o Dollar Shave Club, uma assinatura de lâminas de barbear que contagiou os EUA com sua campanha de marketing viral e popularizou o sistema de assinaturas.

 

Outra empresa americana que se consagrou através de assinaturas é a Blue Apron, que entrega refeições mensalmente para seus clientes. Hoje, existem diversas outras empresas como essa, como Purple Carrot, HelloFresh e Factor.

 

Esses são só alguns exemplos: existem centenas de empresas nativas digitais no Brasil e em todo o mundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

10 + dez =