Entenda Mais Sobre Tráfego Pago: Veja o Que é e Quais São os Principais Tipos

Já não é novidade para nenhum empresário ou gestor de empresas a importância que a internet assumiu nos dias atuais. O que pouca gente sabe é como o tráfego pago pode ser importante para uma marca realmente se fortalecer digitalmente.

 

O tráfego nada mais é do que a movimentação ou quantidade de acessos que sua presença digital é capaz de gerar, seja no site, blog ou nas redes sociais. Mais ou menos como uma loja física, que precisa estar em uma avenida para ter mais pessoas entrando.

 

Claro que existe um tipo de tráfego que não é pago, por crescer de maneira espontânea ou “orgânica”, como se diz no marketing digital. Como uma empresa especializada em contabilidade que cria conteúdo para disseminá-los aos poucos.

 

Neste caso, seria mais ou menos como o antigo efeito do boca a boca, só que pautado no universo digital, ou seja, com base em curtidas, comentários e compartilhamentos. Algumas marcas conseguem até gerar conteúdos que viralizam.

 

Assim, todo mundo sai compartilhando aquele material e isso atrai o tráfego ou atenção de muita gente. Contudo, se alguém deseja crescer rápido e de modo previsível, infelizmente não é possível ficar esperando o “boca a boca” digital ou ter a sorte de viralizar algo.

 

Aí é que entra em cena o tráfego pago, como estratégia central na hora de disseminar uma marca e fazer com que ela atinja mais pessoas. Além disso, se ela trabalha com automação de residências, por exemplo, é possível segmentar seu público.

 

Neste caso, o dinheiro investido não vai ser mal aproveitado. Afinal, não adiantaria de nada a propaganda de uma empresa de automação residencial aparecer para pessoas que trabalham com automação industrial, que é outro público totalmente diferente.

 

Esta é outra razão pela qual decidimos escrever este artigo, explicando melhor do que se trata o tráfego pago, bem como os seus tipos principais e os princípios que realmente podem nortear uma estratégia assertiva, sólida e sustentável.

 

Basicamente, o impacto que tudo isso pode ocasionar na realidade de uma empresa é algo realmente disruptivo, que tem mudado a história de muitos negócios pelo mundo todo. Até porque a internet é altamente democrática e disseminada.

 

Inclusive, um ponto fundamental e interessante desta pauta é justamente o fato de que as plataformas de tráfego pago evoluíram tanto nos últimos anos que já podem ajudar qualquer negócio, seja para uma indústria ou para quem aluga escritórios virtuais.

 

Dito isto, se o seu interesse mais genuíno e urgente é compreender de uma vez por todas como gerar tráfego pago e como isso pode virar a chave do seu negócio, fortalecendo a marca e aumentando as vendas, então basta ficar com a gente até o fim.

 

O que é tráfego pago?

Até aqui, já ficou claro que o tráfego digital nada mais é do que a quantidade de visitantes que entram em contato com sua presença digital. Ela pode estar em um site institucional ou blog, bem como nas redes sociais e demais plataformas.

 

Por exemplo, hoje várias empresas contam com aplicativos próprios, que permitem que os clientes interajam com uma interface da empresa pelo próprio celular. Ali, também é essencial calcular o tráfego e as métricas que giram em torno dele.

 

Outro modo clássico de explicar esse tema é a questão do ibope. Antes apenas as grandes marcas conseguiam promover sua marca em grande escala, como ao fazer anúncios na televisão e no rádio, contando com o ibope desses veículos.

 

Hoje a internet cumpre o papel de ser a maior vitrine do mundo. Assim, quando alguém abre um buscador como o Google, Bing ou Yahoo! e procura por agenda personalizada com nome, o que está em jogo é a geração de tráfego para os anunciantes.

 

Além de democratizar o acesso a tais ferramentas e plataformas, a internet aumentou e muito a assertividade dessas estratégias comerciais, graças à segmentação.

 

Assim, ao contrário de uma televisão ou rádio cujo conteúdo pode ser consumido por qualquer pessoa, sem uma definição clara daquele perfil, na internet é possível definir qual o público-alvo de um anúncio, com um detalhismo que chega a ser espantoso.

 

Você pode escolher, por exemplo, os seguintes pontos:

  • Localização geográfica;
  • A idade média ou faixa etária;
  • Sexo ou gênero da pessoa;
  • Profissão e perfil profissional;
  • Seus interesses gerais.

 

Logo, ao pagar para promover um blog sobre sistema de gestão para pequenas empresas, você não perde tempo nem dinheiro aparecendo para grandes empresas, já que seu foco está nas pequenas.

 

Ou um negócio de carta de motorista não aparece para adolescente em fase de vestibular, já que eles ainda não têm carro próprio nem podem dirigir. Não que a televisão não pudesse fazer segmentação, até podia, mas de forma limitada.

 

Ou seja, o máximo que se tinha era o alcance regional e a definição de ticket médio como algo vago, diferenciando entre TV aberta para classes C e D, e TV a cabo para classes A e B.

 

Atualmente, essa distinção vai muito além, de modo que o tráfego pago é capaz de aproveitar muito melhor o budget (orçamento) de qualquer negócio, tornando as estratégias muito mais promissoras e até mais respeitosas com o bolso do anunciante.

 

Sobre os principais tipos

Além de ter um poder enorme de segmentação, a internet também é conhecida por ter plataformas de diversos tipos, que promovem maneiras variadas em termos de interação e impacto de público, e portanto de tráfego.

 

Na prática, isso significa que há vários tipos de tráfego pago, pautados nas diferentes plataformas existentes, sendo que as principais são os motores de busca e as redes sociais.

 

Também existe uma terceira via, que é a de anunciar nos campos de banner de outros sites, que geram alto tráfego e fazem algo com a locação daquele espaço. Como um portal de notícias que permite a qualquer empresa aparecer no rodapé.

 

Nesses casos também é possível falar em segmentação e assertividade acima da média. Por exemplo, uma empresa de gestão patrimonial aparecer em banners rotativos de um jornal de finanças, o que cria uma sinergia bem maior com o público.

 

Ainda assim, os tipos mais requisitados e mais famosos continuam sendo as redes sociais e os motores de busca, tais como:

  • Facebook Ads;
  • Instagram Ads;
  • YouTube Ads;
  • Google Ads;
  • Anúncios no Bing.

 

A sigla Ads remete a Advertising, termo em inglês para Anúncio. De fato, é muito importante frisar o fato de que hoje em dia as redes sociais já não são exclusivas de uso pessoal, assim como motores de busca não se limitam a pesquisas acadêmicas ou escolares.

 

Pelo contrário: não demorou até que essas grandes empresas percebessem o enorme potencial que tais plataformas tinham em si mesmas.

 

No caso das mídias sociais, por exemplo, enquanto as pessoas curtem as fotos do churrasco do fim de semana, empresas que vendem artigos para fazer churrasco podem aparecer com seus anúncios, graças às hashtags e demais segmentações.

 

No caso dos buscadores, já existem até funções de mapa interativo e de GPS, de modo que o cliente em potencial pesquisa algum produto ou serviço e a plataforma apresenta qual o estabelecimento mais próximo.

 

Como essas plataformas funcionam

Um ponto bacana de mencionar é sobre o funcionamento dessas plataformas, ao menos das principais. Aliás, outra vantagem é que algumas pertencem ao mesmo dono, então concentram a operação em um canal só.

 

No caso do Google, por exemplo, basta abrir um e-mail gratuito no site e configurar as campanhas pelo portal Ads. Assim, já é possível aparecer na rede de displays, nos e-mails do Gmail, no YouTube e em outras frentes.

 

Já o Facebook é dono do Instagram e do WhatsApp, concentrando tudo no seu estúdio. Então, uma empresa de totens personalizados pode criar campanhas e ações publicitárias a partir dali, operando por meio de uma funcionalidade chamada Meta.

 

Impactos proporcionados pelo tráfego pago

Por fim, vale frisar um pouco sobre os impactos que esse tipo de anúncio pode trazer, deixando claras as vantagens e benefícios do tráfego pago.

 

Até aqui vários deles já ficaram claros, mas o mais importante talvez seja a sinergia que isso tem com as novas gerações, que já nasceram com acesso redobrado à internet, computadores, celulares e até tablets.

 

Com isso, uma agência de marketing que faz folder de apresentação e aparece nas primeiras páginas do Google, ou marca presença no Facebook, simplesmente fortalece sua marca, transmitindo uma noção de autoridade.

 

Como falamos, trata-se de estar presente nas maiores vitrines do mundo, o que obviamente impacta de vários modos positivos na rotina da empresa.

 

Considerações finais

Agora você já sabe o que é tráfego pago, bem como os principais tipos existentes na internet, como eles funcionam e os impactos que podem causar.

 

Com as informações aprofundadas e as dicas práticas que demos acima, qualquer um consegue dar os primeiros passos nesse universo incrível da esfera digital, potencializando e muito seus resultados no curto, médio e longo prazo.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 2 =