5 estratégias para seu e-commerce vender mais

Conseguir destaque na infinidade de opções de lojas na internet é um desafio e tanto. Além de investir em um site seguro que proporcione uma boa experiência ao usuário, também é preciso pensar no atendimento online, na logística e em muitos outros pontos que, juntos, constroem gradualmente a percepção que as pessoas têm daquela loja.

 

Porém, nem sempre isso é o suficiente para, de fato, vender na internet. Por isso, ter uma estratégia para e-commerce bem estruturada é essencial. E existem inúmeras formas de fazer isso, desde estratégias mais simples de marketing, até opções mais robustas de divulgação.

 

Se você está passando por esse período sem resultados, veja 5 estratégias para seu e-commerce vender mais.

 

5 estratégias para seu e-commerce vender mais

 

1.  Campanhas personalizadas

Quando você conhece os gostos do seu público ou cliente, fica mais fácil vender para ele. Portanto, esse é o primeiro passo. Com essas informações, sejam elas mais simples ou complexas, é possível pensar em campanhas personalizadas.

 

Pensando em um exemplo simples, é possível enviar para os contatos dos clientes aqueles itens em alta no nicho que o público consome ou que sejam de interesse dessas pessoas.

 

Agora, considerando uma estrutura com dados sobre o que cada cliente compra e pelo que se interessa, essa estratégia ganha ainda mais força, pois é possível enviar aos clientes exatamente aquilo que você sabe que ele tende a comprar. Para incentivar ainda mais, pode-se dar um desconto, por exemplo.

 

Campanhas personalizadas são uma maneira cada vez mais comum e ajuda também na fidelização daquele cliente que comprou apenas uma vez e nunca mais voltou ao e-commerce.

 

2.  Melhore seu ranqueamento no Google

É muito comum que as pessoas procurem um produto diretamente no Google em vez de abrir diretamente o site do e-commerce. Isso pode ser ótimo para lojas menores e menos conhecidas, pois dá chance de visibilidade para a marca.

 

Porém, para conseguir isso, é preciso que o site do e-commerce seja bem ranqueado no Google, ou seja, que apareça na primeira página quando alguém procurar por um produto. Isso envolve inúmeros pontos:

 

  • o site precisa ser seguro;
  • to site deve ter uma boa usabilidade (para computador ou dispositivos móveis);
  • os produtos precisam estar com descrição correta, utilizando técnicas de SEO;
  • conteúdo do site precisa ser de qualidade, também seguindo SEO;
  • fotos e vídeos de qualidade e muitos outros pontos.

 

Esses detalhes fazem toda a diferença quando o assunto é estratégia para e-commerce e merecem atenção para quem quer vender mais.

 

3.  Email marketing

Não é todo cliente que gosta de receber emails de lojas em sua caixa de entrada. Por isso, se uma loja tem clientes cadastrados para recebê-los, é preciso valorizá-los. Nem sempre a melhor estratégia é enviar um catálogo de melhores preços. Isso, na verdade, pode até afastar as vendas.

 

O email marketing pode ser utilizado de diversas maneiras. Por exemplo, pode levar um conteúdo a mais sobre algum produto comprado anteriormente. Pode lembrar o cliente do carrinho deixado no site (e dar um desconto para que ele faça a compra), mostrar opções semelhantes às que ele procurou ou itens adicionais para que a experiência dele seja a melhor possível.

 

Outra forma que o email marketing vem sendo utilizado e que está chamando a atenção é para criar verdadeiras comunidades online a partir de uma newsletter com conteúdos que interessem ao público. Essa é uma ideia bastante útil para e-commerce de nicho, por exemplo.

 

4.  Redes sociais e conteúdo

Não é de hoje que as redes sociais ganharam espaço no dia a dia das pessoas e, consequentemente, na maneira como elas consomem. Por isso, considerando a popularidade delas, é possível afirmar que o e-commerce tem muito a crescer quando está presente nas redes.

 

Algumas delas, inclusive, permitem a venda no próprio aplicativo. Isso pode não ser interessante para todos os e-commerces, mas mostra o potencial de consumo dentro do ambiente online.

 

Mas para se destacar, também é preciso investir em conteúdo de qualidade. Tanto a curto quanto a longo prazo, as redes sociais podem aumentar a visibilidade da loja e também as vendas.

 

5.  Influenciadores digitais

Você sabia que o mercado da influência digital já movimenta milhões de reais ao ano no Brasil? Os influenciadores são aquelas pessoas que produzem conteúdo na internet, também utilizando as redes sociais, e que conseguem construir verdadeiras comunidades e fãs fiéis ao seu trabalho.

 

E engana-se quem pensa que apenas grandes influenciadores (com milhões de seguidores e, claro, mais caros) que trazem resultado. Os micro e nano influenciadores vem ganhando cada vez mais espaço exatamente por conseguirem converter mais vendas por conta da proximidade com seus seguidores.

 

Quando o assunto é estratégia para e-commerce, vale dizer que é preciso construí-la considerando a situação da loja e o objetivo a longo prazo. Assim, nem toda estratégia pode ser a ideal para o momento, mas valem a pena serem conhecidas e entendidas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 − 8 =