Marketplace: Descubra como aplicar o seu negócio!

Já não é segredo para nenhum empresário ou gestor o quanto o universo digital tem crescido nos últimos anos, podendo mudar a história de qualquer empresa. O que poucos sabem é como um marketplace pode ajudar nisso.

 

De fato, segundo levantamento recente da E-Commerce Quality Index, o Brasil está entre os dez países mais fortes em termos de e-commerce. Sendo que só no último ano crescemos mais de 70%, tendo comercializado cerca de R$ 150 bilhões.

 

Nem é difícil confirmar isso, pois basta abrir um buscador como o Google e pesquisar por algo como decoração de quarto de bebê masculino e encontraremos centenas ou mesmo milhares de resultados em poucos segundos.

 

Também podemos pesquisar ou cotar qualquer outro produto/serviço. Os resultados aparecem em segundos e incluem lojas, empresas e prestadoras de serviço de todos os tipos, inclusive indicando a mais próxima de nós, facilitando a negociação.

 

Marketplace: Descubra como aplicar o seu negócio!

 

Por outro lado, isso facilita o acesso das empresas à clientela e ao mercado como um todo, democratizando o marketing por meio da internet, também é um fator que tem aumentado a concorrência, obrigado a dividir o bolo em vários pedaços.

 

Imagine que a pessoa busca por algo como doces para festa de aniversário infantil e encontro dezenas de resultados perto dela. Obviamente, só vai conseguir se destacar na multidão aquele que tiver um diferencial muito grande e souber concorrer.

 

É justamente aí que entra o marketplace, como uma estratégia diferenciadora que ajuda as marcas a se destacarem nesse universo altamente competitivo. Assim, a esfera digital realmente pode trazer resultados incríveis, desde que seja bem utilizada.

 

Mas, infelizmente, muitas empresas se aventuram pelo e-commerce e, por não saberem do que exatamente se trata, não conseguem o resultado almejado. Depois acabam colocando a culpa na internet ou nas plataformas de vendas, o que é um erro.

 

Por isso, trazemos neste artigo não apenas um passo a passo que ajuda a descobrir como aplicar a estratégia do marketplace no próprio negócio, mas também os impactos que isso causa no curto, médio e longo prazo.

 

O interessante é que hoje esse método de trabalho cresceu tanto que já é possível utilizá-lo em qualquer segmento do mercado, seja para vender caixa para transportar bolo ou produtos altamente nichados, como soluções industriais e similares.

 

Então, se você quer dominar de uma vez por todas essa metodologia de marketing  que pode revolucionar sua empresa, marcando presença na internet de um jeito realmente inovador e eficiente, basta seguir adiante na leitura.

 

O que é um marketplace?

Tudo no mundo dos negócios começa com um plano muito bem definido e com conceituações. Aqui não é diferente, até porque muita gente não sabe o que exatamente é um marketplace.

 

Na verdade, é bem comum ver ele sendo confundido com a ideia de e-commerce ou mesmo de loja virtual, embora haja diferenças significativas entre esses três.

 

O modo mais fácil de compreender tais diferenças é com exemplos práticos, como o de uma marca que vende painel de led para shows e decide digitalizar o seu negócio.

 

Basicamente, o e-commerce nada mais é que comércio eletrônico, seja ele de que tipo for, o que pode incluir negociações nas seguintes plataformas ou formatos:

  • Marketplace;
  • Loja virtual;
  • Motores de busca;
  • Redes sociais;
  • Landing page.

 

Enfim, há muitos veículos de venda diferentes, que podem trazer resultados conforme o modelo de negócio de cada um.

 

O diferencial do marketplace é que ele pode ser criado do zero pela marca, como algo exclusivo, por exemplo, ao criar uma plataforma para quem queira vender ou alugar tenda para festa. Ou então, ele pode ser reaproveitado por uma empresa.

 

Neste segundo caso, que é o mais comum, ele funciona como um shopping virtual no qual você anuncia seus produtos ou serviços. Este modelo tem a vantagem de que você não precisa gastar com marketing e infraestrutura.

 

Ou seja, você vai anunciar suas soluções em uma plataforma que já existe, que tem sistemas embutidos de pagamento e às vezes até de envio. Assim, já nos primeiros dias, seus anúncios podem ser vistos por vários clientes em potencial.

 

O segredo da segmentação

Um ponto muito interessante do marketplace, seja qual for o modelo de implementação que você preferir aplicar em seu negócio, é como ele pode ser segmentado.

 

Lembrando que no marketing digital isso é uma vantagem, pois quanto mais nichado for um ramo, mais fácil vai ser de impactar o seu público-alvo, em vez de pulverizar demais as estratégias e não conseguir assertividade.

 

Assim, uma empresa que vende caixa de papelão para mudança pode segmentar sua estratégia, canalizando apenas os usuários e internautas que se enquadrem nesse perfil, sem perder tempo com outros que não estão em fase de mudança.

 

Neste sentido, existem vários enquadramentos possíveis, incluindo os seguintes:

  • B2B: Business-to-Business (Empresa para Empresa);
  • B2C: Business-to-Consumer (Empresa para Consumidor);
  • C2C: Consumer-to-Consumer (Consumidor para Consumidor);
  • C2B: Consumer-to-Business (Consumidor para Empresa).

 

No primeiro caso, temos o formato padrão de e-commerce, em que uma empresa vende ou presta um serviço direto para o usuário final. No segundo caso, a negociação é entre empresas, como algo mais consultivo e mais técnico.

 

Já o formato de Consumidor para Consumidor inclui aqueles marketplaces que vendem itens usados, ou que negociam prestação de serviço informal entre as partes.

 

O último é incomum no Brasil, mas se aproxima do freelancer, quando uma pessoa física ou mesmo informal presta um serviço para uma grande empresa, entrando na folha de pagamento sem ser um funcionário propriamente dito.

 

Seja como for, só de poder segmentar sua atuação desse modo, o marketplace já se mostra muito mais assertivo e promissor do que a maioria das demais estratégias existentes, sejam elas online ou offline.

 

Faça os melhores anúncios

Outro ponto que independe do modelo de implementação escolhido é que você vai precisar fazer anúncios, o que é básico em qualquer tipo de marketplace.

 

Lembre-se: aqui o cliente em potencial está passeando digitalmente, não existe um vendedor para tentar puxar ele para sua loja ou explicar como sua solução funciona.

 

Então, é preciso fazer com que ele entenda como aquela decoração de balão ou qualquer outro produto/serviço poderá realmente resolver a dor que ele tem.

 

Para isso, invista nos seus anúncios, o que não quer dizer escrever textos enormes, nem tampouco copiar e colar várias passagens de um manual do usuário.

 

Você precisa fazer anúncios curtos, eficientes e chamativos. Para isso, invista em fotos de alta qualidade e textos enxutos e bem descritivos.

 

Um diferencial enorme pode ser o uso de vídeos explicativos. Afinal, se uma foto vale mais do que mil palavras, imagine o que um vídeo pode fazer por você.

 

Quanto mais você conseguir gerar uma experiência agradável, que faça o cliente entender sua solução tal como se houvesse um vendedor explicando tudo presencialmente para ele, melhores vão ser as chances de venda e o impacto causado.

 

No fundo, aqui também entra a regra de se diferenciar na multidão: o seu anúncio é o único modo que você tem de atrair as pessoas certas para o seu negócio, na hora certa e do jeito certo, então é bom caprichar nisso.

 

O papel do atendimento

Outro modo de aplicar o marketplace no seu negócio com sucesso é dando o devido valor à comunicação, o que mostra o papel do atendimento.

 

Mesmo fazendo um anúncio chamativo e até explicativo, sempre vão surgir dúvidas da parte dos clientes, já que uma pessoa nunca é igual a outra e é impossível evitar isso.

 

Também engana-se muito quem pensa que a internet é um modo de não precisar lidar com o cliente. Afinal, o segredo do sucesso está, como dissemos acima, em gerar uma experiência diferenciada, que faça o cliente se sentir único.

 

Assim, mesmo que ele seja o milésimo comprador de uma pista de dança casamento, ele precisa ter uma experiência personalizada para ele.

 

Portanto, reforce o atendimento, dê toda atenção necessária e treine seus funcionários para isso, valorizando ao máximo esse ponto.

 

O diferencial das métricas

Por fim, um diferencial que pode tornar o marketplace ainda mais promissor é saber implementá-lo com a cultura das métricas e análises constantes.

 

Quanto mais cedo você começar isso, melhor vai ser. Assim, você identifica diariamente quantos clientes visitaram seus anúncios, quanto tempo ficaram na página, quais as dúvidas mais comuns, quais itens venderam mais e daí em diante.

 

Com esses números em mãos, o negócio consegue fazer análises bem mais precisas, melhorando onde for preciso e tomando decisões muito mais estratégicas e acertadas com o passar do tempo.

 

Conclusão

Falar em marketplaces e e-commerce no Brasil é se referir a um dos países mais engajados em termos de compra pela internet.

 

Para desfrutar disso e fazer com que o marketplace impacte seu próprio negócio, aumentando as vendas e gerando cada vez mais oportunidades, é preciso seguir algumas dicas que podem ser a diferença entre prosperar ou não ir para frente.

 

Com os conceitos e conselhos práticos que trouxemos, fica muito mais fácil você dar seus primeiros passos e traçar o caminho do sucesso.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze + 19 =